Última hora
This content is not available in your region

O "padroeiro da internet" foi beatificado

euronews_icons_loading
O "padroeiro da internet" foi beatificado
Direitos de autor  Gregorio Borgia/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved
Tamanho do texto Aa Aa

Aos 15 anos, o italiano Carlo Acutis morreu vítima de uma leucemia fulminante. Foi em 2006. Passaram 14 anos e o jovem, já apelidado de "padroeiro da internet" ou "ciberapóstolo", foi agora beatificado na cidade italiana de Assis.

Carlo, nascido em Londres, era conhecido pela extrema devoção à fé católica, tendo criado sites e usado as novas tecnologias para "transmitir o Evangelho", como chegou a explicar o Papa Francisco.

"Os jovens estavam cansados das eucaristias tradicionais, que talvez não acompanhem os tempos modernos. Mas o Senhor intervém na História e dá-nos estes caminhos de luz", afirma o padre Enzo Fortunato, da Basílica de São Francisco de Assis.

Os restos mortais do adolescente encontram-se nesta basílica. A beatificação foi possível graças ao reconhecimento por parte do Vaticano de um milagre: a cura inexplicável de uma criança brasileira com uma rara e fatal doença no pâncreas, cuja família rezou pela intervenção de Carlo.