EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Metade da Grande Barreira de Coral morreu nos últimos 25 anos

Metade da Grande Barreira de Coral morreu nos últimos 25 anos
Direitos de autor Caleb Jones/AP
Direitos de autor Caleb Jones/AP
De  euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Os corais são formados numa relação de simbiose com microalgas. Uns dependem dos outros. Os cientistas apostam em curas e numa relação à temperatura ideal, onde todos podem ganhar sem perder território.

PUBLICIDADE

A Grande Barreira de Coral pode ser vista do espaço, mas está a perder espaço. Os 2300 Kms de pura beleza marinha ao largo da costa leste da Austrália que têm vindo a desaparecer nos últimos 25 anos, segundo um estudo científico recentemente publicado.

Esta formação tem mais de 400 espécies diferentes, mas metade dos corais perderam os inquilinos marinhos, a cor e a vida, devido ao aumento da temperatura dos oceanos - uma das consequências do aquecimento global.

Alterações na salinidade e os níveis de poluição também têm relação direta com o branqueamento e morte destes corais que são como florestas tropicais subaquáticas e fundamentais para a vida marinha.

São formados numa relação de simbiose com microalgas. Uns dependem dos outros. Os cientistas apostam em curas e numa relação à temperatura ideal, onde todos podem ganhar sem perder território.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Relatório alerta para branqueamento de corais provocado pelo aquecimento dos oceanos

Hora do crepúsculo para o Pacto Ecológico Europeu?

Os Verdes: Para Terry Reintke, ecologia e segurança são duas faces da mesma moeda