Última hora
This content is not available in your region

As consequências de um Brexit sem acordo

As consequências de um Brexit sem acordo
Direitos de autor  Virginia Mayo/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved
Tamanho do texto Aa Aa

Se não houver acordo, o comércio entre o Reino Unido e a União Europeia seguirá as regras da Organização Mundial do Comércio. Prestadores de serviços - como advogados ou consultores financeiros - terão limitações em relação ao trabalho que podem desenvolver além fronteiras. O impacto seria muito mais dramático na venda de mercadorias, com a aplicação de tarifas, assim que cruzam as fronteiras.

Os mais afetados podem ser as empresas de automóveis e os agricultores, com taxas de 10% aplicadas a veículos e componentes vendidos fora do país e os impostos para certos tipos de carne bovina podem chegar aos 90%.

No caso de não haver acordo, tudo muda. Com tarifas de tal ordem que não será económico exportar, então sugerimos que não haja exportação de produtos agrícolas sujeitos a taxas elevadas.
David Henig
Centro Europeu de Economia Política Internacional

As economias do Reino Unido e da UE estão profundamente relacionadas. No ano passado, o Reino Unido vendeu 43% das suas exportações à Europa. E, segundo a última estimativa do FMI, 13% das exportações europeias vão para o Reino Unido.

Com acordo ou sem acordo, uma coisa é certa: serão introduzidos controlos na fronteiras, porque o Reino Unido optou por deixar a união aduaneira da UE. Se as coisas não correrem bem, são esperados atrasos, como a fila de camiões em direção ao porto de Dover em setembro, na altura da greve dos funcionários da fronteira francesa. Para evitar este cenário, o acordo deverá ficar concluído até 31 de dezembro ou o prazo deverá ser prolongado. E mesmo que não haja acordo, as negociações podem ser retomadas a qualquer momento.