EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Forças australianas reconhecem crimes de guerra no Afeganistão

Forças australianas reconhecem crimes de guerra no Afeganistão
Direitos de autor Mick Tsikas/AP
Direitos de autor Mick Tsikas/AP
De  Joao Duarte Ferreira
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Desde 2006 que grupos de militares australianos teriam assassinado dezenas de civis afegãos

PUBLICIDADE

Forças especiais da Austrália teriam alegadamente estado envolvidas no assassinato de 39 civis afegãos desde 2006.

As revelações encontram-se contidas num relatório que acaba de ser publicado.

O relatório Brereton investigou alegações segundo as quais um pequeno grupo de elite da Força Aérea assim como regimentos de comandos teriam morto e brutalizado civis afegãos.

As revelações levaram o chefe das forças de defesa australianas a emitir um pedido de desculpas.

"Ao povo do Afeganistão, em nome das Forças de Defesa da Austrália, aqui fica um pedido de desculpas sincero e sem reservas, pelos erros cometidos pelos soldados australianos.

Neste contexto, algumas patrulhas agiram fora dos pârametros da lei. Regras foram quebradas, histórias inventadas, mentiras, e prisioneiros foram mortos", afirmou Angus Campbell, comandante das Forças de Defesa australianas.

O relatório levou quatro anos a completar. Antigos prisioneiros afegãos já reagiram ao resultado das investigações.

"Fui torturado e não me deixaram dormir quando me prenderam. Sempre que adormecia, um soldado dava-me um pontapé no cabeça para me acordar" denunciou Abdul Manan, líder tribal.

Abdul Malik, residente de Trinkot, afirma que quer estar presente no julgamento.

"Queremos um julgamento justo, queremos assistir a isso, porque foram muito cruéis, por isso o julgamento deverá ter lugar na nossa presença".

O primeiro-ministro australiano, Scott Morrison, prometeu que um investigador especial seria nomeado para considerar as acusações.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

TPI investiga crimes de guerra dos EUA no Afeganistão

Afeganistão quer paz duradoura

Diplomacia dos pandas: primeiro-ministro chinês visitou zoo de Adelaide para ver Wang Wang e Fu Bi