Última hora
This content is not available in your region

Eficácia da vacina de Oxford pode alcançar 90%

euronews_icons_loading
Eficácia da vacina de Oxford pode alcançar 90%
Direitos de autor  Matt Dunham/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved
Tamanho do texto Aa Aa

A nova vacina anti Covid-19 desenvolvida pela Universidade britânica de Oxford em colaboração com a farmacêutica Astra Zeneca pode atingir uma taxa de eficácia de 90%.

Os resultados dos ensaios clínicos de larga escala, que incluiram 24 mil voluntários no Reino Unido e no Brasil, sugerem que a aplicação de meia dose seguida de uma dose completa aumenta a eficácia de 70 para 90%.

As outras duas vacinas anunciadas, respetivamente da Pfizer/BioNTech e da Moderna, alcançam uma taxa de proteção de 95% embora necessitem de ser armazenadas a temperaturas muito baixas.

A vantagem da vacina britânica, contudo, reside no preço mais baixo assim como nas condições de transporte e armazenamento que são menos exigentes.

"O próximo desafio é conseguir imunizar um número sufientemente grande de pessoas para ter um impacto sobre o vírus, e isso leva tempo. Ou seja, leva tempo a produzir, a distribuir as vacinas e a aplicá-las. Não se faz da noite para o dia. Assim, quanto mais vacinas tivermos, quanto mais doses existirem, mais fácil será", afirma o imunologista Adam Finn da Universidade de Bristol, no Reino Unido.

De recordar que o sucesso de qualquer vacina depende não apenas da sua eficácia mas também do número de pessoas vacinadas. Uma vez quebrada a cadeia de transmissão o vírus acabará por desaparecer.