Última hora
This content is not available in your region

Arte de rua ajuda a redesenhar a paisagem urbana

euronews_icons_loading
Arte de rua ajuda a redesenhar a paisagem urbana
Direitos de autor  AP Photo
Tamanho do texto Aa Aa

Redescobrir, redesenhar a paisagem urbana, por artistas de rua, é uma nova forma de aproveitar a cidade e oferecer um novo olhar a quem está, de alguma forma, confinado.

A arte na rua, aquela que é digna desse nome, traz uma lufada de ar fresco, visual, aos moradores o que faz crescer o interesse por esta forma de expressão. Silvia Poggiani, guia turística, explica que isso ao "__encerramento dos espaços de arte tradicionais, como os museus. A arte de rua oferece a possibilidade, às pessoas, de visitarem a cidade e, ao mesmo tempo, verem algo contemporâneo e moderno que vai mudando todas as semanas, de duas semanas ou num mês".

E a pandemia de Covid-19 não podia passar ao lado do olhar, da criatividade, dos artistas:

A correspondente da euronews em Roma, Giorgia Orlandi, mostra uma obra a preto e branco - um homem e uma mulher, de máscara, como as usadas contra ataques nucleares, e que tentam beijar-se - explicando que ela é "inspirada na Covid-19", "feita durante o primeiro bloqueio, em Itália, quando as restrições eram ainda muito rígidas. O artista tomou a decisão de violar as regras de confinamento e foi o único a fazê-lo num aqueduto romano com 2.000 anos".

O artista, que se autodenomina de Hogre. e que prefere manter o anonimato, disse à euronews que espera que o tema desencadeie uma reflexão mais ampla sobre o que a história nos pode ensinar:

“O passado não é um morto por detrás de um vidro que devemos venerar. Se pudéssemos estabelecer uma relação com ele e compreendermos que ele pertence-nos e nos questionássemos, então o passado não seria apenas "um monte de ruínas", ele falaria connosco, dando-nos as respostas aos problemas de hoje”.

Responder às perguntas de hoje até porque esta arte está muito mais acessível ao público, principalmente no contexto atual. Stefano Antonelli, curador de arte, explica que “durante o bloqueio, a arte de rua teve a possibilidade de se reencontrar, os artistas expressam-se em nome da __sociedade, pelas mudanças que gostariam de ver na sociedade e como gostariam que ela fosse".

Para quem a arte de rua é uma forma de vida, o confinamento pode também ser uma oportunidade: "o facto de não haver pessoas por perto mostra as muitas contradições que a cidade guarda dentro de si. Essa é principalmente a insustentabilidade da sua organização ecológica, social e económica, mas é também uma oportunidade para repensar e reinventar a vida na cidade", diz o artista conhecido por Hogre.