EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Covas reeleito em São Paulo e Paes reconquista Rio

Eleições municipais no Brasil
Eleições municipais no Brasil Direitos de autor ANDRE COELHO/AFP or licensors
Direitos de autor ANDRE COELHO/AFP or licensors
De  euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Bruno Covas foi reeleito em São Paulo e Eduardo Paes regressa à prefeitura carioca. Candidatos apoiados por Jair Bolsonaro ficaram pelo caminho na primeira ronda.

PUBLICIDADE

O Brasil elege os prefeitos. Em São Paulo, a capital económica do país, Bruno Covas do (PSDB), foi reeleito neste domingo prefeito da cidade, para o mandato 2021-2024, segundo a projeção do instituto Datafolha.

Covas comprovou a liderança nas sondagens também na véspera das eleições. Estava confiante na vitória depois de ter depositado o seu voto no domingo de manhã ao lado do filho, na Escola Vera Cruz, na zona Oeste de São Paulo.

Covas, era vice-presidente de João Doria (PSDB), assumiu a Prefeitura de São Paulo depois do ex-prefeito ter decidido abandonar o cargo e entrar na futura corrida presidencial, onde será um provável adversário de Jair Bolsonaro.

Estas eleições municipais são o primeiro teste eleitoral a Bolsonaro - que vai a meio do mandato - e um barómetro para avaliar as forças políticas antes das presidenciais de 2022.

Na primeira volta, a 15 de novembro, nove dos 13 candidatos apoiados pelo atual presidente saíram derrotados.

O duelo do Rio de Janeiro também chama a atenção. Ainda segundo o Datafolha, Eduardo Paes derrota o atual prefeito Marcelo Crivella e é eleito prefeito da cidade com uma margem esmagadora. Crivella, do Republicanos, foi outro dos candidatos que contou com o apoio de Jair Bolsonaro.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Protestos em São Paulo contra novo projeto de lei sobre o aborto no Brasil

Hajj: peregrinação à cidade santa de Meca pelos muçulmanos

Brasil: foram chamados para salvar crianças, mas acabaram numa operação de "salvamento" de armas