Última hora
This content is not available in your region

Receios sobre o Brexit agravam-se em Gibraltar

euronews_icons_loading
Receios sobre o Brexit agravam-se em Gibraltar
Direitos de autor  Javier Fergo/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved.
Tamanho do texto Aa Aa

Não é a primeira vez que as incertezas pairam sobre Gibraltar. Mas, agora, a ausência de um acordo para o Brexit deixa este enclave britânico com um receio generalizado sobre o futuro de setores como o turismo, do qual este território depende fortemente.

Segundo Fabian Picardo, o chefe do governo de Gibraltar, "não é simplesmente possível implementar um plano de saída da União Europeia que deixe tudo como está neste momento. O plano de contingência incide sobre as questões básicas, mas se não houver um acordo, o dia a dia vai mudar radicalmente para pior e não é só para quem vive em Gibraltar".

Ao terminar aqui a livre circulação do espaço europeu, começam as interrogações que se queriam evitar no referendo de 2016, quando 96% dos eleitores de Gibraltar votaram para ficar na União Europeia.

Prem Mahtani, comerciante, salienta que "com uma fronteira encerrada, ou com restrições, basta demorar 10 a 15 segundos para controlar os documentos individualmente, para criar filas de quilómetros. Isso vai dissuadir as pessoas de visitar Gibraltar".

Se não houver resposta para a pretensão de permanecer na união aduaneira, as contas vão focar-se nos cerca de 10 milhões de turistas que até agora visitavam o Rochedo anualmente.