Última hora
This content is not available in your region

Vacinação começa a 27 de dezembro na União Europeia

Access to the comments Comentários
De  Euronews
euronews_icons_loading
Vacinação começa a 27 de dezembro na União Europeia
Direitos de autor  John Thys/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved
Tamanho do texto Aa Aa

Os países da União Europeia começam a vacinar contra o coronavírus a partir de 27 de dezembro.

A Presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen, anunciou o pontapé de saída da campanha de vacinação através do Twitter.

Von der Leyen escreveu:

"É o momento da Europa. A 27, 28 e 29 de dezembro a vacinação terá início em toda a UE. Protegemos juntos os nossos cidadãos. Juntos Somos mais fortes."

Um porta-voz da UE confirmou que as vacinas começariam a ser entregues aos Estados-membros a 26 de dezembro.

A Agência Europeia de Medicamentos - o organismo encarregado de aprovar vacina - vai reunir-se na próxima segunda-feira para concluir avaliação da vacina Pfizer/BioNTech.

O anúncio surge no dia em que a chanceler alemã, Angela Merkel, participou numa conferência virtual para felicitar os fundadores da empresa alemã, BioNTech e pouco depois de a Alemanha ter dito que iniciaria a sua campanha de vacinação a 27 de dezembro. Merkel lembrou, no entanto, que a vacina não é obrigatória e que ninguém será obrigado a vacinar-se.

A Alemanha criou 440 centros de vacinação e ativou cerca de 10.000 médicos e pessoal médico para iniciar as vacinações em massa.

Vacinação no mundo

Uma semana após ter autorizado a vacinação com a vacina da Pfizer/BioNTech, o comité de peritos da FDA - a agência americana do medicamento - reúne-se esta quinta-feira para avaliar a vacina da empresa americana Moderna.

Na Arábia Saudita a campanha de vacinação começou esta quinta-feira, com o ministro da Saúde a ser dos primeiros a dar o exemplo.

Na Rússia, Vladimir Putin, de 63 anos, diz que também será vacinado assim que houver luz verde para a vacinação das pessoas da sua idade.

A pandemia já matou 1,65 milhões de pessoas em todo o mundo, sendo os Estados Unidos o país que registou o maior número de mortos.