Última hora
This content is not available in your region

Aprovada vacina anti-Covid da AstraZeneca e Universidade de Oxford

Access to the comments Comentários
De  Pedro Sacadura com AP, AFP
euronews_icons_loading
Aprovada vacina anti-Covid da AstraZeneca e Universidade de Oxford
Direitos de autor  Alvaro Barrientos/Copyright 2019 The Associated Press. All rights reserved
Tamanho do texto Aa Aa

A partir da próxima segunda-feira deverão começar a ser administradas, no Reino Unido, as primeiras doses da vacina conjunta contra a Covid-19 desenvolvida pela farmacêutica AstraZeneca e pela Universidade de Oxford.

A Agência Reguladora de Medicamentos e Produtos de Saúde (MHRA, sigla em inglês) aprovou o uso do fármaco no Reino Unido, que apresenta a vantagem de ser mais barato do que outras opções e de não necessitar de ser conservado a temperaturas ultrabaixas.

Na prática, o anúncio representa um impulso adicional para a acelerar a campanha de vacinação contra a doença, lançada no início de dezembro. Na segunda-feira, o ministro de Estado britânico, Michael Gove, disse que a aprovação da vacina poderia igualmente acelerar o levantamento de confinamentos rígidos no país.

O Reino Unido encomendou 100 milhões de doses, suficientes para inocular 50 milhões de pessoas. O ministro da Saúde britânico, Matt Hancock, falou num "momento significativo" na luta contra a pandemia e sublinhou que juntamente com a vacina da Pfizer-BioNTech, o Reino Unido tem agora a quantidade de que necessita para vacinar toda a população.

A primeira vacina a ser aprovada pelo regulador britânico foi a desenvolvida em conjunto pela multinacional farmacêutica norte-americana Pfizer e a biotecnológica alemã BioNTech. Até ao momento, de acordo com estatísticas do executivo britânico, a vacina Pfizer-BioNTech foi administrada a 600 mil pessoas em território britânico.