Última hora
This content is not available in your region

China confina mais 4,9 milhões de pessoas

euronews_icons_loading
China confina mais 4,9 milhões de pessoas
Direitos de autor  Liang Zidong/Xinhua
Tamanho do texto Aa Aa

As autoridades chinesas decretaram, esta terça-feira, o confinamento dos 4,9 milhões de habitantes da cidade de Langfang, província de Hebei, para evitar que o novo coronavírus continue a espalhar-se na região, vizinha de Pequim. Há mais duas cidades fechadas nesta província e ainda não foi anunciada a duração do confinamento.

O Governo chinês anunciou que os especialistas da Organização Mundial de Saúde vão visitar, esta semana, Wuhan, onde no final de 2019 foi detetado o primeiro caso do novo coronavírus.

"A Comissão Nacional de Saúde anunciou ontem que, após consultas entre as duas partes, a equipa internacional de especialistas da OMS encarregada de investigar as origens do coronavírus visitará a China no dia 14 de janeiro para realizar pesquisas científicas conjuntas e cooperar com cientistas chineses sobre as origens do coronavírus", afirmou o porta-voz do Ministério chinês dos Negócios Estrangeiros, Zhao Lijian.

Esta visita era esperada há meses. Na semana passada, o diretor da OMS, Tedros Ghebreyesus, tinha-se mostrado "muito dececionado" com os obstáculos colocados pelas autoridades chinesas à cehagada dos especialistas.