EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Presidenciais em tempo de pandemia

Presidenciais em tempo de pandemia
Direitos de autor Armando Franca/Copyright 2021 The Associated Press. All rights reserved
Direitos de autor Armando Franca/Copyright 2021 The Associated Press. All rights reserved
De  Ricardo Figueira
Publicado a Últimas notícias
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Portugal vota para o Presidente da República entre números recorde da situação pandémica e sem possibilidade de adiar.

PUBLICIDADE

Portugal vai a votos este domingo, numas eleições presidenciais altamente contestadas por ocorrerem em plena pandemia, quando o país atinge todos os dias novos recordes de mortos e infetados pelo vírus. Os pedidos de um adiamento foram calados pelo argumento da impossibilidade constitucional de o fazer.

Os portugueses são chamados a votar para escolher o Presidente da República, uma semana depois de muitos terem já votado antecipadamente, com longas filas para votar, um cenário que não se deve repetir, já que há mais assembleias de voto. A Comissão Nacional de Eleições recomenda distanciamento, máscara, álcool-gel e, sobretudo, que cada um leve a sua própria caneta.

Marcelo Rebelo de Sousa, ao fim de um mandato de cinco anos marcado pelo bom entendimento com o governo de António Costa, está confiante numa reeleição à primeira volta. O segundo lugar é disputado por Ana Gomes, socialista sem o apoio oficial do partido, e André Ventura, da direita populista do "Chega!". Marisa Matias, do Bloco de Esquerda, almeja também um bom resultado.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Afluência ordeira nas presidenciais em dia de novo recorde de mortes

Portugal com novo recorde de mortes e contaminações diárias

Mais de 246 mil portugueses começam a votar para as presidenciais