Última hora
This content is not available in your region

Pescadores britânicos navegam na incerteza

euronews_icons_loading
Pescadores britânicos navegam na incerteza
Direitos de autor  Euronews
Tamanho do texto Aa Aa

Após anos de discussões e negociações muitos pescadores britânicos enfrentam agora um futuro incerto.

Apesar de anos de promessas, muitos agora questionam mesmo o apoio prestado á saída da União Europeia decidida em referendo em 2016.

"Penso que se soubéssemos que isto iria acontecer, as coisas poderiam ter sido diferentes, as pessoas teriam votado de forma diferente, os pescadores teriam olhado para a situação com outros olhos", afirma Simon Driver, um pescador cuja família explora as águas ao largo do condado de Devon desde o século XVI.

Eles viram o Brexit como uma oportunidade única de corrigirem aquilo que consideravam os problemas da política comunitária de pescas.

Em vez disso sentem-se traídos pelo primeiro-ministro, Boris Johnson.

"Eles insistiram em como os pescadores iriam ficar melhores, teríamos mais peixe e controlo sobre as nossas águas. Foi isso que fez muitas pessoas votarem no Brexit. E não funcionou pois não? Todos aqueles que votaram esperavam melhorias na indústria das pescas, mas mentiram-nos a todos.
Vi anúncios por todo o lado em Londres que diziam "vamos lutar pela indústria das pescas. E não lutaram nada", reclama Dave Driver, outro pescador local.

A introdução de certificados de captura e as declarações alfandegárias criam atrasos na fronteira, isto significa que os compradores rejeitam os lotes de peixe porque demoram muito tempo a chegar.

O correspondente da euronews, Luke Hanrahan, acrescenta:

"A realidade para muitos pescadores como estes é que desde o início do mês que todos os dias perdem centenas de libras. Está tudo relacionado com as alfândegas o que significa que nos piores casos o peixe apodrece antes de atravessar o canal. Muitos pescadores estão confusos e expressam raiva para com o governo".

A fim de ganhar algum dinheiro, Ben Vass teve que despedir dois colegas e converteu o barco para a apanha de marisco que depois congela e exporta para a Ásia.

"O Brexit dificultou a exportação dos nossos produtos. Toda a União Europeia costumava comprar muito do nosso peixe. Isso acabou porque o peixe apodrece. Perdemos todo o nosso mercado de exportação", afirma Ben Vass.

Existem cerca de 12 mil pescadores inscritos em frotas de pesca britânicas.

Muitos agora enfrentam um futuro incerto.

"Oitenta por cento das nossas vendas vão para a União Europeia, e agora tudo isso acabou. Os nossos preços baixaram. Todo o peixe é congelado. É mau, não vale a pena neste momento", conclui Nathan Daley.

O governo afirma que está a trabalhar de perto com a indústria das pescas e a União Europeia de forma a lidarem com a parte burocrática e prometem ainda apoio financeiro a todos aqueles afetados pelos atrasos.