Isabel dos Santos condenada a pagar quase 340 milhões de dólares

Access to the comments Comentários
De  Euronews  com Agência Lusa
Isabel dos Santos sofre derrota judicial em Paris
Isabel dos Santos sofre derrota judicial em Paris   -   Direitos de autor  AP/ Paulo Duarte/ Arquivo

Isabel dos Santos sofreu nova derrota na justiça francesa. O Tribunal de Recurso de Paris indeferiu o recurso apresentado pela Vidatel, pertencente à empresária angolana e que terá de pagar perto de 339,4 milhões de dólares (perto de €280 milhões) à PT Ventures, detida pela Sonangol. 

O processo de anulação tinha sido interposto pela empresa de Isabel dos Santos à sentença proferida há quase dois anos.

Em comunicado, a Sonangol adianta que, "no âmbito do processo contencioso entre os acionistas da Unitel, o Tribunal de Recurso de Paris proferiu hoje a favor da PT Ventures SGPS (PTV), empresa integralmente detida" pela petrolífera angolana, "a decisão final no processo de anulação interposto pela Vidatel Limited, entidade pela engenheira Isabel dos Santos".

A Sonangol recorda que, em 20 de fevereiro de 2019, a Câmara de Comércio Internacional (CCI) "já havia decidido, a favor da PTV, uma indemnização no montante 339.400.000 dólares [cerca de 279,2 milhões de euros, à taxa de câmbio atual] relativa à diminuição no valor das ações da PTV na Unitel".

O pedido de anulação da referida decisão interposto pela Vidatel "foi indeferido por sentença judicial do tribunal de Paris e foi reiterada a decisão do tribunal arbitral, tendo ainda condenado a Vidatel ao pagamento de 300 mil euros a título de compensação à PTV e respetivas despesas legais do processo", adianta a petrolífera angolana.

"Com esta decisão do Tribunal de Recurso de Paris confirma-se a legitimidade da PTV para execução da sentença arbitral no valor de 339.400.000 dólares contra a Vidatel", conclui a Sonangol.

A euronews falou com o jurista Rui Verde para conhecer o impacto desta decisão. O jurista refere que a posição da empresária já estava fragilizada desde a decisão da justiça das Ilhas Virgens Britânicas que lhe limitava os seus direitos e agora tem de lidar também com uma nova dívida.

O jurista indicou ainda o que se segue para aquela que já foi a mulher mais rica de África:

"Terá de tentar executar a Vidatel para pagar essa dívida. Se a Vidatel não tiver dinheiro, eventualmente pode-se tentar a desconsideração da personalidade coletiva da Vidatel e ir atrás pessoalmente de Isabel dos Santos para pagar essa dívida."

A Unitel era uma das joias da coroa de Isabel dos Santos mas desde o ano passado tem como acionista maioritário a Sonangol, depois da justiça lhe ter retirado o controlo da empresa. O contencioso entre a estrutura de acionistas arrasta-se já há vários anos na justiça.