Exército de Myanmar dissipa rumores de golpe de Estado

Access to the comments Comentários
De  Euronews  com LUSA
Exército de Myanmar dissipa rumores de golpe de Estado
Direitos de autor  Thein Zaw/Copyright 2021 The Associated Press. All rights reserved.

O exército birmanês negou, este sábado, qualquer intenção de levar a cabo um golpe de Estado em Myanmar, depois de, na passada semana, um porta-voz militar ter colocado essa mesma hipótese em cima da mesa. A ameaça deixou o país em estado de alerta, dias antes da tomada de posse do novo Parlamento, prevista para segunda-feira,

No dia seguinte às eleições gerais de 08 de novembro, o chefe do Exército birmanês, Min Aung Hlaing, afirmou, numa intervenção perante as Forças Armadas, que se deveria abolir a Constituição se a Carta Magna não for cumprida, o que foi interpretado como uma ameaça ao país

Os rumores de um golpe de estado intensificaram-se na passada, terça-feira, quando o porta-voz militar, Zaw Min Tun, se negou a excluir a possibilidade de o Exército tomar o poder após supostas irregularidades.

Em causa estão as eleições gerais em que o partido no poder, a Liga Nacional para a Democracia (NLD, na sigla em inglês), ganhou por uma maioria absoluta de 83%.

As supostas irregularidades tinham já sido denunciadas pelo Partido da Solidariedade e de Desenvolvimento da União (USPD, na sigla em inglês), o grande derrotado nas urnas, que se recusou a aceitar os resultados, ao obter apenas 33 dos 476 assentos parlamentares. 

A Comissão Eleitoral de Myanmar afastou, no entanto, qualquer hipótese de fraude nas eleições de novembro.

Membros da NLD reuniram-se, quinta-feira à noite, com representantes das Forças Armadas, mas não chegaram a qualquer acordo para superar a crise, indicaram à agência noticiosa espanhola EFE fontes próximas do Governo.

A delegação da União Europeia e várias embaixadas condenaram já "qualquer tentativa" para alterar os resultados eleitorais no país, ou “impedir” a transição democrática, que teve início em 2010, após o Myanmar, então conhecido como Birmânia, ter vivido sob ditadura militar durante cinco décadas.