Última hora
This content is not available in your region

Europa e farmacêuticas devem trabalhar juntas

Access to the comments Comentários
De  Nara Madeira com AP, AFP
euronews_icons_loading
Europa e farmacêuticas devem trabalhar juntas
Direitos de autor  Sebastian Gollnow/(c) Copyright 2021, dpa (www.dpa.de). Alle Rechte vorbehalten
Tamanho do texto Aa Aa

A Organização Mundial da Saúde diz que a Europa e as farmacêuticas devem trabalhar juntas porque é preciso acelerar o processo de vacinação contra a Covid-19.

A OMS mostra-se preocupada com a situação mas as problemáticas mais prementes estão relacionadas com as novas variantes do novo coronavírus. Hans Kluge, diretor regional da OMS para a Europa diz que elas se propagam "mais depressa, por isso mais pessoas apanham a doença mais rapidamente, o que significa que o sistema de saúde, que está sobrecarregado, terá ainda mais dificuldades". A outra questão é a eficácia das vacinas sobre essas variantes. "Há alguns relatórios preliminares que indicam que a variante sul-africana pode causar um pouco mais de desafios, mas não temos certeza, ainda. E é por isso que temos que estar muito vigilantes", conclui.

Devido ao aumento do número de variantes, a nível global, as autoridades francesas e alemãs estão a intensificar o controlo de passageiros que viajam de comboio entre os dois países.

Em Espanha, as autoridades de saúde decidiram que apenas as pessoas com idades entre os 18 e os 55 anos podem receber a vacina da AstraZeneca. Outros países europeus tinham já decidido que as pessoas com mais de 65 anos não podem tomá-la.

Nos lares de idosos espanhóis a imunização está a ser feita com doses da vacina da Pfizer e Moderna.

Em Itália o número de mortes voltou a descer, foram reportadas 377. Mas o de novas infeções voltou a aumentar, 14,218, em 24 horas. Apesar disso os turistas vão regressando à medida que as restrições começam a diminuir. Bares e restaurantes reabriram em quinze das 20 regiões mas com horários adaptados.