Última hora
This content is not available in your region

Visitas virtuais da família para combater isolamento da Covid-19

euronews_icons_loading
"Doentes covid" no hospital de campanha de Portimão recebem "visitas" da família
"Doentes covid" no hospital de campanha de Portimão recebem "visitas" da família   -   Direitos de autor  RTP
Tamanho do texto Aa Aa

Em pouco mais de um mês a funcionar, o Hospital de Campanha instalado em Portimão, no sul de Portugal, já possibilitou cerca de 200 visitas virtuais de familiares aos "doentes covid" que ali recuperam.

Foi a forma encontrada nesta unidade improvisada no Algarve para minimizar a solidão provocada pela pandemia.

Isilda Gomes, Presidente da CM Portimão, dedica diariamente enquanto cidadã e voluntária uma parte do seu dia a promover...

Posted by Portimão on Monday, February 1, 2021

Abel Beirão, de 71 anos, chegou ali oriundo do hospital de Almada e agradece a possibilidade de poder continuar a falar com a família.

"As pessoas localizam-se e as famílias não se perdem. Em Almada, antes de vir para aqui, tive a sensação que ia perder a minha família. Eles iam ficar sem mim e eu estava a ficar muito triste", lembra, em lágrimas, em declarações à RTP.

A médica Inês Simões confessou à estação de televisão pública portuguesa como tem sido "dramático ver as pessoas que acabam por se sentir um bocadinho abandonadas". "Acho que estas visitas acabam por colmatar um bocadinho essa lacuna", considera.

Um dos pilares desta ponte digital entre doentes e familiares tem sido Isilda Gomes.

A presidente da Câmara de Portimão esteve no centro da controvérsia das vacinas anticovid, mas garante ter sido devidamente vacinada por estar a trabalhar em regime de voluntariado neste hospital de campanha no Algarve.

Isilda Gomes é uma das operadoras que recebe e passa as chamadas às enfermeiras que estão junto dos "doentes covid". Este trabalho de equipa ajuda a reduzir o isolamento de quem está ali acamado e com isso ajudam também a dar esperança às famílias.

Esperança sentiu-se também na mensagem deste domingo do primeiro-ministro nas redes sociais.

António Costa salientou o abrandamento da epidemia e confirmou a chegada a portugal de equipas médicas oriundas do Luxemburgo e de França.

Os profissionais de saúde luxemburgueses e franceses vêm juntar-se ao contingente de 26 alemães já a trabalhar em Lisboa há alguns dias. Os primeiros, dois médicos e dois enfermeiros, vão reforçar os recursos humanos no Hospital do Espírito Santo, em Évora, pelo menos durante 15 dias.

A outra equipa, compota por um médico e três enfermeiros franceses, vai ficar a trabalhar no Garcia da Orta, em Almada.

Este reforço médico internacional deve começar a trabalhar já esta segunda-feira para ajudar a aliviar a forte pressão das últimas semanas sobre os hospitais portugueses.

Portugal registou entretanto o menor número de mortes (138) e de contágios (1.677) em mais de um mês, e de novo somou mais recuperados (3.791) que novos infetados. Há 14 dias consecutivos que os recuperados diários superam os novos infetados.

Outra boa notícia é queda para menos de oitocentos (795, menos oito) do número de doentes em cuidados intensivos, num total de camas ocupadas em hospitais agora de 4.826, com os casos ativos no país conhecidos este domingo nos 105.119 (menos 2.252 face a sábado).

Editor de vídeo • Francisco Marques

Outras fontes • RTP