EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Draghi apresenta programa de "pós-guerra"

Draghi apresenta programa de "pós-guerra"
Direitos de autor Roberto Monaldo/LaPresse
Direitos de autor Roberto Monaldo/LaPresse
De  Teresa Bizarro com Agências
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O novo primeiro-ministro italiano compara a crise desencadeada pela pandemia ao período após a Segunda Guerra Mundial

PUBLICIDADE

"Tal como os governos no pós-guerra, temos a responsabilidade de lançar uma Nova Reconstrução" - Desafio de Mario Draghi para Itália na apresentação do programa de governo no parlamento. O primeiro-ministro italiano compara os tempos da pandemia aos tempos da guerra. A terceira maior economia da zona euro está devastada pelo impacto da Covid-19, e em 2020 sofreu uma das piores quedas do PIB, com um mergulho de 8,9%. Com este cenário de crise, Draghi encontra na europa caminho e solução. 

"Este governo nasceu na esteira da adesão do nosso país como membro fundador da União Europeia. Apoiar este governo significa partilhar a irreversibilidade da escolha do euro, significa partilhar a perspectiva de uma União Europeia cada vez mais integrada que chegará a um orçamento público comum capaz de apoiar os países em tempos de recessão", disse Mário Draghi na apresentação do programa de governo no parlamento, esta quarta-feira.

Renato Brunetta, novo ministro da Administração Pública

O novo governo conta com mais de 210 mil milhões de euros da União Europeia para financiar o plano de recuperação que deverá apresentar a Bruxelas até ao final de Abril. Para o antigo presidente do BCE, "ao sermos parte convicta do futuro da Europa, somos ainda mais italianos, ainda mais próximos dos nossos territórios de origem e de residência. Devemos estar orgulhosos da contribuição italiana para o crescimento da União Europeia. Sem Itália não há Europa".

Ainda esta quarta-feira, as duas câmaras do parlamento italiano devem votar e aprovar uma moção de confiança ao novo governo.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Já há data para a eleição do presidente italiano

Mario Draghi é o homem de quem se espera o impossível

Mil italianos assinam manifesto para que Draghi seja presidente da Comissão Europeia