Última hora
This content is not available in your region

Protestos contra prisão de rapper Pablo Hasél degeneram em confrontos

Access to the comments Comentários
De  Pedro Sacadura com AFP, AP
euronews_icons_loading
Protestos contra prisão de rapper Pablo Hasél degeneram em confrontos
Direitos de autor  Manu Fernandez/Copyright 2021 The Associated Press. All rights reserved.
Tamanho do texto Aa Aa

Em Madrid, a Porta do Sol transformou-se no epicentro da revolta popular contra a prisão do rapper espanhol Pablo Hasél.

Esta quarta-feira, a polícia disparou balas de borracha e recorreu ao gás lacrimogéneo para dispersar uma manifestação que degenerou em violência.

Durante o protesto, inicialmente pacífico e autorizado, os manifestantes arremessaram mobiliário urbano, pedras e garrafas.

Houve registo de feridos. Várias pessoas acabaram por ser detidas, quer em Madrid que em Barcelona, onde o caso de Hasél reacendeu o debate sobre liberdade de expressão sob um clima de revolta.

"Segundo o Governo temos de estar em silêncio, mas não podemos ficar calados. Estamos a protestar em apoio ao rapper Pablo Hasél que diz o que pensa. Vejam como nos encontramos agora", sublinhou Xavi, um dos mais de mil manifestantes em protesto em Barcelona. Elena de la Rosa acrescentou: "Não tem lógica nenhuma que se condene ou atire uma pessoa para a cadeia por causa de um tweet ou de uma música a propósito de alguma coisa, que ainda por cima é verdade."

Pablo Rivadulla Duró, de nome artístico Pablo Hasél, foi detido esta terça-feira, na Universidade de Lleida, onde se barricou com seguidores para impedir a detenção.

Na sexta-feira passada falhou o prazo para se entregar às autoridades e cumprir uma sentença de nove meses de prisão, por injúrias à monarquia e glorificação do terrorismo.

Em causa está, entre outras coisas, a publicação de vários tweets e de uma polémica canção - "Juan Carlos el Bobón", que ainda pode ser ouvida no Youtube - contra o rei Emérito de Espanha.

Hasél estava obrigado a pagar ainda uma multa de 40 mil euros. À falta de pagamento a sentença final converte-se em 2 anos, quatro meses e 15 dias de prisão.

O rapper já tinha sido alvo de outras condenações anteriormente.