Última hora
This content is not available in your region

Levar eletricidade a toda Angola

euronews_icons_loading
Barragem de Laúca
Barragem de Laúca   -   Direitos de autor  Euronews
Tamanho do texto Aa Aa

França e Banco Mundial investem 344 milhões de euros em Angola. O financiamento vai ser aplicado na expansão das zonas eletrificadas das províncias de Benguela, Huambo, Huíla e na capital Luanda.

O projeto vai ser financiado através de um empréstimo parcial concebido pelo Banco Mundial de 206 milhões de euros, e um crédito de 137 milhões de euros provenientes da Agência Francesa de Desenvolvimento.

As restrições no fornecimento de energia elétrica e água canalizada são frequentemente apontadas pelos investidores privados como principal desincentivo para investir na produção nacional.

De acordo com Louis-Antoine Souchet, diretor-geral da Agência Francesa de Desenvolvimento em Angola, atualmente apenas um terço da população do país tem acesso à eletricidade em boas condições.

O objetivo deste projeto é proceder à modernização e expansão da rede elétrica nas quatro maiores províncias de Angola, e trabalhar no melhoramento do desempenho das três empresas públicas do setor de produção, transporte e distribuição de energia

"Vamos criar uma unidade de gestão de projeto junto do Ministério da Água e da Energia que vai supervisionar as questões técnicas nas três empresas públicas do setor para se assegurar que o projeto avança em boas condições e que os meios financeiros são bem utilizados", disse Louis-Antoine Souchet, em entrevista exclusiva à Euronews.

Além do setor da energia, a cooperação francesa apoia projetos em Angola ligados ao desenvolvimento rural e à extensão da rede urbana de água, que já beneficiaram aproximadamente 900.000 habitantes dos bairros mais desfavorecidos.

Cerca de 40% da população em Angola, ainda vive sem energia elétrica, uma situação que dificulta a prestação de serviços básicos e agrava a pobreza e a produtividade, causando grandes disparidades regionais.