EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Debate sobre armas na ordem do dia no Brasil

Proprietário de carreira de tiro em Americana, no Brasil
Proprietário de carreira de tiro em Americana, no Brasil Direitos de autor Andre Penner/Copyright 2021 The Associated Press. All rights reserved.
Direitos de autor Andre Penner/Copyright 2021 The Associated Press. All rights reserved.
De  Rodrigo Barbosa com AP / Lusa
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Opositores contestam decretos de Bolsonaro que flexibilizam regras para aquisição de armas e munições

PUBLICIDADE

O debate sobre o porte de armas está na ordem do dia no Brasil, depois de este mês o presidente Jair Bolsonaro ter alterado quatro decretos federais ampliando o acesso às armas de fogo e munições no país.

Segundo os novos textos, os cidadãos com licença de posse e porte de arma passam a poder comprar até seis armas e duas mil munições por ano e o certificado de "formação técnica" emitido pelas autoridades que era exigido para o acesso às armas pode ser agora substituído por uma declaração de um clube de tiro que ateste que o requerente pratica "habitualmente".

Os opositores contestam a liberalização num dos países mais violentos do mundo.

Ilona Szabó de Carvalho, presidente do Instituto Igarapé:"Para nós o controlo de arma é chave, tanto para a segurança pública, como para a democracia do país. Desde o início, quando a gente vê que há uma interferência do poder executivo, no poder legislativo [...] nós estamos recorrendo, tanto junto a parlamentares, quanto a partidos que estão entrando com ações no Supremo Tribunal Federal."

Defensores do porte de armas sublinham que a maioria das armas usadas em crimes violentos são adquiridas de forma ilegal.

Eduardo Barzana, proprietário de carreira de tiro:"O bandido não quer uma pistola que você compra para se defender, para ter na loja, ele não quer um rifle que eu uso para competição, [...] Ele quer um fúsil e ele vai lá fora, vai no Paraguai, vai no Uruguai, compra e traz."

A flexibilização no acesso às armas foi uma das grandes promessas de campanha de Bolsonaro em 2018, mas sondagens recentes mostram que 73% dos brasileiros defendem uma legislação mais estrita.

Desde que Bolsonaro chegou ao poder, houve um aumento de 65% no número de armas registadas no Brasil, mas peritos acreditam que o número real em circulação no país pode ser "10 a 15 vezes superior".

Editor de vídeo • Rodrigo Barbosa

Outras fontes • Deutsche Welle / Agência Brasil

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Biden apoia o filho após condenação, mesmo sem indulto. "Estamos orgulhosos do homem que ele é hoje"

Polónia: Explosão em fábrica de armamento provoca 1 morto

Putin ameaça a Alemanha: Rússia pode fornecer armas para atingir alvos ocidentais