Última hora
This content is not available in your region

Milhares manifestam-se contra as medidas de confinamento em Budapeste

euronews_icons_loading
Milhares manifestam-se contra as medidas de confinamento em Budapeste
Direitos de autor  AP Photo
Tamanho do texto Aa Aa

A polícia húngara dispersou uma manifestação em Budapeste, onde milhares saíram às ruas para protestar contra as medidas de confinamento. "Devolvam-nos as nossas vidas" foi o nome dado ao protesto pela organização, liderada por György Gődény, um farmacêutico cético em relação à Covid-19.

"Estamos fartos dos jogos dos políticos! Queremos retomar o controlo das nossas vidas nas nossas próprias mãos. Não seremos autorizados a ficar presos. Não nos obriguem a coisas que não fazem sentido", apelou Gődény.

"Estou limitada na minha liberdade. Já para não falar nas crianças, que não podem ir à escola. Aprender online? Que futuro é que vão ter?", pergunta a manifestante Aranka Teleki.

A polícia alemã patrulhou a zona histórica de Duesseldorf e as margens do Rio Reno este domingo, numa altura em que as pessoas estão proibidas de permanecerem nestas zonas. Proibição decretada depois de dezenas de milhares de pessoas se terem juntado no centro histórico no fim de semana passado.

"Acho que está certo. Se as pessoas não cumprirem a regra do distanciamento social, então as autoridades devem reprimir um pouco", diz Jasik, residente em Duesseldorf.

Também em Paris, nas margens do Rio Sena, houve patrulhas este domingo, para garantirem o cumprimento do recolher obrigatório com início às seis da tarde.

A Alemanha adicionou a região francesa de Moselle à sua lista de áreas de "variantes de preocupação", impondo requisitos de entrada mais rígidos na fronteira entre os dois países vizinhos.