Última hora
This content is not available in your region

Verdes aguardam com expectativa resultados das eleições estaduais na Alemanha

De  Jona Källgren & Euronews
euronews_icons_loading
Verdes e CDU disputam eleições estaduais em Baden-Württemberg
Verdes e CDU disputam eleições estaduais em Baden-Württemberg   -   Direitos de autor  THOMAS KIENZLE/AFP or licensors
Tamanho do texto Aa Aa

Com flores e panfletos se percorre a reta final para as eleições estaduais pelas ruas de Estugarda. No estado alemão de Baden-Württemberg, as sondagens são animadoras para os Verdes, colocando o partido no poder à frente da União Democrata-Cristã (CDU), por 11 pontos percentuais.

Petra Olschowski, secretária de Estado local e candidata dos Verdes ao parlamento estadual, está em campanha junto do eleitorado; congratula-se com os resultados, mas prefere ser prudente e "esperar até ao dia das eleições para ver".

2021 é, como lhe chamam os média, um "super ano eleitoral" na Alemanha. Neste ano, as eleições estaduais precedem as federais permitindo tomar o pulso da orientação de voto que vai determinar os destinos do país.

No caso da CDU, as eleições em Baden-Württemberg vão ser o primeiro teste à nova liderança do partido.

Também para os Verdes, os resultados em Baden-Württemberg são importantes.

O partido ecologista tem governado ao longo dos últimos quatro anos em coligação com a conservadora União Democrata-Cristã.

Uma aliança pós-eleitoral que pode vir também a ser formada em Berlim, após as eleições federais de setembro.

Os dois partidos, durante muito tempo, em lados opostos do espectro político na Alemanha, têm convergido nas posições. Um governo conjunto é hoje uma perspetiva mais provável do aquela que se afigurava há alguns anos.

Patrick Bernhagen, professor de Política, na Universidade de Estugarda, explica que "em geral, os partidos democratas-cristãos na Alemanha não são tão conservadores como eram antes. Não estão tão à direita como no passado. Paralelamente, os Verdes não são tão radicais em relação à ecologia como eram. Isto significa que estes dois partidos se têm aproximado um do outro, nos últimos anos. E a estabilidade da coligação governativa verde e negra aqui em Baden Württemberg confirma isso".

Petra Olschowski ingressou no partido aos 18 anos, no início da década de 1980. Nessa altura, ninguém imaginava os Verdes a trabalhar com o partido conservador.

Mas na política, tal como na vida, tudo pode mudar.

"Mudou", admite a candidata. "Mas também mudei desde os meus 18 anos e agora. E penso que as posições que os Verdes têm hoje são importantes, mas são diferentes das posições de há 30 ou 35 anos atrás. Mas para mim, a mudança que os Verdes fizeram é credível e correta".

Os estados de Baden-Württemberg e Renânia-Palatinado são chamados às urnas este domingo. Em junho será a vez de mais um estado e setembro, de outros três.