EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

Polícia acusado de matar jovem britânica foi a tribunal

Manifestação junto ao memorial improvisado de Sarah Everard, Londres
Manifestação junto ao memorial improvisado de Sarah Everard, Londres Direitos de autor Frank Augstein/Copyright 2021 The Associated Press. All rights reserved
Direitos de autor Frank Augstein/Copyright 2021 The Associated Press. All rights reserved
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Caso de Sarah Everard alimenta críticas pela insegurança das mulheres nas ruas do Reino Unido

PUBLICIDADE

No Reino Unido, crescem as manifestações contra a violência machista e em defesa de ruas seguras, na sequência do caso de Sarah Everard, a jovem supostamente sequestrada e assassinada por um polícia quando voltava à noite para casa, no sul de Londres.

A Duquesa de Cambridge, Kate Middleton, fez questão de prestar homenagem pessoalmente este sábado no memorial improvisado em memória de Everard, no parque de Clapham Common, na capital britânica.

A jovem de 33 anos desapareceu a 3 de março quando regressava a casa, em Brixton. O corpo foi encontrado na passada quarta-feira, no condado de Kent.

Wayne Couzens, um agente da Scotland Yard no ativo de 48 anos, compareceu este sábado num tribunal de Westminster para responder às acusações de rapto e homicídio.

A detenção de Couzens não só alimentou a mecha do ceticismo face à polícia no Reino Unido, como desencadeou uma vaga de críticas pela insegurança que vivem as mulheres nas ruas do país.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Polícia londrina pressionada por repressão controversa

Autoridades inglesas prometem investigar atuação da polícia em vigília

Nigel Farage ultrapassou pela primeira vez partido do primeiro-ministro Rishi Sunak