Última hora
This content is not available in your region

Medalhas para todos em Antália

De  euronews
euronews_icons_loading
Medalhas para todos em Antália
Direitos de autor  from Euronews video
Tamanho do texto Aa Aa

O terceiro e último dia do Grand Slam de Antália, na Turquia, a contar para o Circuito Mundial de Judo, foi reservado às categorias de peso mais elevado.

Nos menos de 90 quilos, em masculinos, o sueco Marcus Nyman derrotou o húngaro Krisztian Toth por waza-ari, conseguindo assim o segundo título num Grand Slam em apenas duas semanas.

O presidente da Federação de Judo da Hungria, Laszlo Toth, entregou as medalhas.

Em femininos, nos menos de 78 quilos, a japonesa Shori Hamada, campeã mundial em 2018, foi avançando tranquilamente ao longo do dia, graças sobretudo às técnicas no solo, em que é especialista.

Na final, derrotou a polaca Beata Pacut e conseguiu, pela terceira vez, uma medalha de ouro num Grand Slam, medalha entregue pelo presidente da Federação Tunisina, Skander Hachicha.

De volta aos masculinos, na categoria de menos de 100 quilos, Zelim Kotsoiev, do Azerbaijão, derrotou o japonês Aaron Wolf e recebeu a medalha das mãos da diretora de eventos da Federação Internacional de Judo, Lisa Allan.

Na categoria de mais de 78 quilos, em femininos, Raz Hershko, de Israel, derrotou na final a chinesa Xu Shiyan, campeã no torneio de Tbilisi. Depois de um empate, o combate teve de ser decidido através do ponto de ouro, uma oportunidade que a israelita não desperdiçou. A medalha foi entregue pelo supervisor de arbitragem da FIJ, Ki-Young Jeon.

Disse Hershko: "Fiquei sem saber o que fazer, é uma loucura, é muito intenso, a minha reação foi gritar de alegria, por ter ganho este combate, foi a minha primeira vitória, uma grande vitória e estou muito contente".

Na categoria de maior peso de todas, a dos mais de 100 quilos, em masculinos, o russo Tamerlan Bashaev esteve imparável ao longo de todo o dia, eliminatória após eliminatória. Na final, venceu por ippon o japonês Hisayoshi Harasawa, que repete aqui a medalha de prata que tinha conseguido tanto nos Mundiais como nos Jogos Olímpicos.

Ao receber a medalha de ouro das mãos do diretor de arbitragem da FIJ, Florin Daniel Lascau, Bashaev pensou no adversário: "Quando venço contra alguém sei que, de alguma forma, destruí o sonho daquela pessoa, por isso não me posso estar a vangloriar e a dizer que sou o melhor", disse o russo.

O torneio teve também vários episódios de sucesso para os judocas da casa, neste fim de semana cheio de emoção desportiva aqui em Antália, na Turquia.