Última hora
This content is not available in your region

UE pressiona Bulgária na luta contra a corrupção

Access to the comments Comentários
De  euronews
euronews_icons_loading
UE pressiona Bulgária na luta contra a corrupção
Direitos de autor  Olivier Hoslet/AP
Tamanho do texto Aa Aa

A União Europeia vai pressionar a Bulgária no sentido de aumentar os esforços na luta contra a corrupção.

Nas eleições parlamentares do fim-de-semana passado, o partido do primeiro-ministro Boyko Borrisov perdeu apoio e enfrenta agora dificuldades para formar um novo executivo.

Duas novas forças políticas inspiradas pelos protestos anti-corrupção do ano passado entraram no parlamento.

Antoaneta Dimitrova é uma cientista política da Universidade de Leiden que acompanha a realidade política no país.

"Temos que aguardar para ver se o voto de protesto anti-corrupção, entre outras coisas, vai ter impacto. A esperança a nível europeu é a entrada no parlamento do Partido Democrático da Bulgária. Esta coligação incluiu no seu programa eleitoral a luta contra os níveis elevados de corrupção.
A reforma do poder judicial, e a reforma do gabinete do procurador-chefe, são ambas muito problemáticas", afirma a académica.

A liderança do primeiro-ministro Boyko Borissov foi alvo de muitas crítcas por parte de ONGs devido a questões relativas ao estado de direito e à liberdade de imprensa.

No entanto, e ao contrário da Hungria e da Polónia, o governo búlgaro de centro-direita não representa um problema para Bruxelas.

"Borissov nunca criticou o projeto europeu abertamente. Ele manteve sempre a sua estratégia para não ser criticado por ser anti-europeu. Agora vai estar sob pressão. A pressão virá da Procuradoria Europeia devido ao facto de existirem mais investigações. A maior esperança para o desenvolvimento é a própria Bulgária. Não ser capaz de formar governo significa que há menos possibilidades de utilizar o estado a nível nacional e local para efeitos de corrupção", conclui a cientista política Antoaneta Dimitrova.

A questão do veto búlgaro à adesão da Macedónia do Norte à União Europeia vai depender das negociações com vista à formação de uma coligação.