Última hora
This content is not available in your region

Campanha internacional de apoio a Alexei Navalny

euronews_icons_loading
Campanha internacional de apoio a Alexei Navalny
Direitos de autor  AP Photo
Tamanho do texto Aa Aa

O empresário e financista britânico Bill Browder apelou à União Europeia para que imponha sanções contra os aliados do presidente russo, Vladimir Putin, por causa da prisão do líder da oposição Alexei Navalny.

Browder, que há mais de uma década luta contra a violação dos Direitos Humanos na Rússia, criticou ainda a visita infrutífera a Moscovo do Alto Representante da União Europeia para os Negócios Estrangeiros, Josep Borrell.

"A União Europeia é vista por Putin como sendo uma instituição particularmente fraca e penso que a visita de Borrell foi uma humilhação particular para a União Europeia e quase um triunfo para a Rússia. A União Europeia deve levantar-se e, neste momento. A União Europeia está terrivelmente dividida".

Alexei Navalny, cujo estado de saúde tem piorado desde que está na prisão de Pokrov, a 100 quilómetros a leste de Moscovo, está em greve de fome desde 31 de março, exigindo cuidados de saúde adequados.

A Amnistia Internacional iniciou uma campanha de apoio a Alexei Navalny, como explica a secretária-geral Agnès Callamard.

"Iniciámos uma grande campanha para pedir, em primeiro lugar, que ele seja libertado imediatamente, em segundo lugar, enquanto se espera pela sua libertação, que tenha acesso a todo o apoio e assistência médica de que necessita como pessoa que foi envenenada com Novitchok, algo extremamente grave".

Na terça-feira, a médica pessoal de Alexei Navalny foi detida nas imediações da prisão de Pokrov. Anastasiya Vasilyeva exigia saber qual o real estado de saúde do líder da oposição. Esta quarta-feira, a advogada do insurgente informou saber apenas que Navalny testou negativo à Covid-19.