Última hora
This content is not available in your region

Presidente de Portugal descreve vacinação europeia como "Via Sacra"

euronews_icons_loading
Marcelo Rebelo de Sousa após visitas a uma unidade de saúde e um centro social
Marcelo Rebelo de Sousa após visitas a uma unidade de saúde e um centro social   -   Direitos de autor  LUSA/ANTÓNIO COTRIM
Tamanho do texto Aa Aa

O processo de produção de vacinas contra a Covid-19 na União Europeia tem sido "uma via sacra" repleta de problemas, disse o Presidente de Portugal esta quarta-feira, no mesmo dia em que a França começou a produzir vacinas em diversas fábricas para disponibilizar aos "27".

Após uma visita à Unidade de Saúde Familiar da Baixa e ao Centro Social Polivalente S. Cristovão e S. Lourenço, em Lisboa, Marcelo Rebelo de Sousa criticou o processo aos tropeções da vacinação europeia, numa altura em que em Portugal já foram administradas quase dois milhões de doses de vacina.

"A questão da produção das vacinas tem sido uma Via Sacra. Via Sacra é uma expressão pascal que quer dizer um conjunto de problemas que se têm acumulado no tempo. Já falei disso várias vezes inclusive a propósito da renovação do estado de emergência. De 15 em 15 dias descobre-se mais um problema. Ou é no fornecimento, ou é em questões de análise ou reanálise do processo produtivo. Têm surgido as questões mais variadas", apontou o Chefe de Estado português.

Para exemplificar os problemas, Marcelo disse que "há uma Agência Europeia do Medicamento (EMA) que diz de sua justiça acerca da validade e da eficácia das vacinas e depois surgem dúvidas periodicamente aqui e acolá e os Estados reagem de forma diferente perante essas dúvidas". "O que, tenho de dizer, perturba as opiniões públicas", acrescentou o Presidente.

Agora, no entanto, parece estar lançada uma solução em França para permitir à Comissão Europeia atingir o objetivo traçado para este verão.

No final de março, a União Europeia revelou ter identificado 52 fábricas no território dos "27" para reforçar a produção de vacinas, com 11 empresas portuguesas na lista, propostas pelo Governo que atualmente detém a presidência rotativa da União Europeia.

Esta quarta-feira, começou em França a produção de vacinas em diversas fábricas espalhadas pelo país e o objetivo é disponibilizar até ao final do ano 250 milhões de doses das várias vacinas já autorizadas para uso pelo regulador europeu.

O objetivo traçado pelos 27 é ter 70% da população europeia vacinada em meados de julho e, além disso, conseguir garantir a imunização total à chegada do outono, eventualmente com os primeiros vacinados a terem já direito a uma segunda ronda de vacinação contra a Covid-19.

O plano, entretanto, deverá continuar a contar em todos os países com a vacina da AstraZeneca/Oxford, que hoje voltou a ser uma vez mais validada pela EMA e também pela agência reguladora do Reino Unido.

Sintomas a ter em atenção após a vacinação

  • Dificuldades respiratórias;
  • Dores no peito;
  • Inchaço nas pernas;
  • Dores abdominais persistentes;
  • Sintomas neurológicos, incluindo dores de cabeça severas e persistentes ou visão enevoada;
  • Pequenos sinais sanguíneos sob a pele afastados da zona do corpo de toma da vacina.
  • Fonte: Agência Europeia de Medicamentos

Editor de vídeo • Francisco Marques