Última hora
This content is not available in your region

Israel recorda vítimas do Holocausto

euronews_icons_loading
Israel recorda vítimas do Holocausto
Direitos de autor  MAYA ALLERUZZO/AFP
Tamanho do texto Aa Aa

Esta quinta-feira Israel parou durante dois minutos para homenagear as vítimas do genocídio nazi.

O dia 8 de abril é uma das datas mais sombrias do calendário do país. Neste dia, em 1943, aconteceu a Revolta do Gueto de Varsóvia, uma das ações mais expressivas da resistência judaica contra a Alemanha nazi.

O Holocausto é um elemento chave da consciência pública israelita. O país foi fundado em 1948, três anos depois do fim da Segunda Guerra Mundial e do genocídio, como local de refúgio para judeus em todo o mundo. Centenas de milhares de sobreviventes do Holocausto que tinham perdido as casas e famílias fugiram para lá.

Atualmente, há cerca de 180 mil sobreviventes do Holocausto a viver em Israel.

O Presidente israelita disse esta quarta-feira, num discurso no Centro Mundial de Recordação do Holocausto, que 900 sobreviventes do genocídio nazi morreram no ano passado por causa da pandemia.

Falando no memorial de quarta-feira, o primeiro-ministro Benjamin Netanyahu desafiou os líderes mundiais a não renovar um acordo nuclear com o Irão, dizendo que "a história ensinou que acordos como este, com regimes extremistas como este, não valem nada".