Última hora
This content is not available in your region

Ofensiva de Biden contra a Rússia de Putin

euronews_icons_loading
Ofensiva de Biden contra a Rússia de Putin
Direitos de autor  Andrew Harnik/Copyright 2021 The Associated Press. All rights reserved
Tamanho do texto Aa Aa

A administração Biden lançou agora uma ofensiva contra a Rússia de Vladimir Putin, um dos golpes diplomáticos mais duros de sempre. Os Estados Unidos ordenaram a expulsão de dez diplomatas russos e sanções contra dezenas de empresas do país, como retaliação pela alegada interferência russa nas eleições norte-americanas de 2016.

"É altura de alivir a tensão. O caminho a seguir é o do diálogo e do processo diplomático. Os Estados Unidos estão preparados para seguir em frente com esse processo, de forma construtiva. O meu princípio é o seguinte: Sempre que for do interesse dos Estados Unidos trabalhar com a Rússia, fá-lo-emos. Mas sempre que a Rússia violar os interesses dos Estados Unidos, vamos responder", disse o presidente norte-americano.

A decisão prova a viragem de 180 graus operada por Biden depois da postura benevolente do antecessor Donald Trump.

Mesmo se houve também sanções à Rússia durante a administração precedente, Trump evitou sempre críticas diretas a Putin e nunca reconheceu que tenha havido interferência dos russos nas eleições em que saiu vitorioso.

É o segundo grande anúncio de Biden em apenas dois dias, em termos de política externa, depois do anúncio da retirada das tropas do Afeganistão até ao dia 11 de setembro.