Última hora
This content is not available in your region

Clubes ingleses saem da Superliga

Access to the comments Comentários
De  Euronews
euronews_icons_loading
Clubes ingleses saem da Superliga
Direitos de autor  Clive Rose/AP
Tamanho do texto Aa Aa

O Chelsea foi um dos fundadores da Superliga e os adeptos não perdoaram. Dizem que se não estiverem envolvidos nas decisões, o clube deixa de ter público e ninguém os vai ver. Reagiram logo depois de saberem que a equipa estava entre os 12 fundadores da polémica competição. Esta terça-feira à noite tiveram a notícia que esperavam. O Chelsea deixou a Superliga depois dos outros cinco clubes ingleses fundadores: Arsenal, Liverpool, Manchester City, Manchester United e Tottenham.

Uma liga europeia exclusiva para 15 "super clubes" auto-nomeados – a ideia foi criticada pelo primeiro-ministro britânico. “Não tenham dúvidas de que não apoiamos a criação desta Superliga Europeia. Penso que não é do interesse dos adeptos, não é do interesse do futebol”, afirmou Boris Johnson.

Para John Bercow,tratou-se de uma tentativa de tomada de poder por um grupo de bilionários. “Os fãs que amam o desporto, que vêm aos jogos e pagam o bilhete devem controlar o que acontece. Isso parece-me correto e adequado. A forma como as coisas são feitas neste momento é errada e imprópria'', disse o antigo presidente da Câmara dos Comuns.

Os críticos sublinham a falta de competição da Superliga e a proteção das equipas fundadoras. O dono do Liverpool já pediu desculpa. “Ao longo destas 48 horas ficou muito claro que não se iria aguentar. Nós ouvimos. Eu ouvi-vos'', disse John W Henry.

Em Inglaterra parece ser o fim da polémica, mas muitos dizem que é também o início de um novo capítulo no futebol europeu.