Última hora
This content is not available in your region

FIFA "ameaça" clubes da Superliga

euronews_icons_loading
FIFA
FIFA   -   Direitos de autor  Jorge Saenz/AP
Tamanho do texto Aa Aa

O presidente da Federação Internacional de Futebol (FIFA) comentou esta terça-feira o anúncio da criação de uma Superliga com alguns dos maiores clubes da Europa.

Ao lado do presidente da UEFA, Gianni Infantino disse que a FIFA tem como pilares os verdadeiros valores do desporto e que está contra a iniciativa. Infantino disse que se os clubes optarem por seguir o seu próprio caminho, então devem viver com as consequências da sua escolha. “Concretamente, isto significa que ou se está dentro ou se está fora”, afirmou o presidente da FIFA.

Por seu lado, o presidente da UEFA pediu aos clubes para pensarem com a razão e não esquecerem “aqueles que fazem tudo para ir a um estádio de futebol e que querem que o sonho continue vivo”. “Tenham em conta a razão, não o amor ao futebol, porque imagino que alguns de vós não tenham muito disso”, disse Aleksander Ceferin,

Milan, Inter, Juventus, Arsenal, Liverpool, Chelsea, Manchester City, Manchester United, Tottenham, Atlético Madrid, Barcelona e Real Madrid são os fundadores da nova competição.

A polémica, as reações negativas e as críticas dos adeptos e da opinião pública já fizeram baixas na recém criada Superliga Europeia. Esta terça-feira, o Manchester City e o Chelsea anunciaram a saída da competição.

Mediação da União Europeia

Poiares Maduro, antigo ministro de Portugal e antigo membro do comité de governação da FIFA, defendeu a intervenção da União Europeia na resolução do conflito. “Criar legislação para regular uma atividade que representa 3,7% do PIB europeu seria uma excelente oportunidade para Portugal marcar a sua presidência da União Europeia”, defendeu o antigo ministro.