Joe Biden reconhece genocídio arménio

Joe Biden reconhece genocídio arménio
Direitos de autor Davit Abrahamyan/PAN Photo
De  euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Presidente da Turquia denunciou "politização" do assunto.

PUBLICIDADE

**Joe Biden reconheceu o genocídio arménio**, tornando-se no primeiro presidente norte-americano a fazê-lo em reconhecimento da morte de 1,5 milhões de arménios - massacrados pelo Império Otomano em 1915. A data assinala-se a 24 de Abril. Todos os anos, a Casa Branca faz uma declaração e, pela primeira vez, a palavra genocídio é mencionada, um termo que a Turquia ainda se recusa a utilizar.

Sem surpresas, a notícia fez reagir as autoridades de Ancara, com o Presidente Erdogan a denunciar a "politização" do assunto.

No Twitter, o ministro dos negócios estrangeiros do país disse que a Turquia não tinha "lições a receber de ninguém sobre a sua história". A Arménia, assinalou a data do genocídio neste sábado saudou o reconhecimento: o primeiro-ministro do país, Nikol Pachinian disse ser "uma medida muito forte em direcção à justiça e à verdade histórica".

A satisfação foi evidente nas ruas de Yerevan.

Há anos que esperamos por isto, já antes de Biden. Muitos fizeram promessas como Trump, mas acabou por fazer o mesmo que os anteriores - e nós esperámos. Acho que a Turquia vai ter medo agora, porque mais ano menos ano, quando todos os países começarem a reconhecer a situação, toda a gente vai falar do assunto.
Taline Nourian
Residente em Yerevan

Até agora, todos os presidentes dos Estados Unidos evitaram utilizar o termo genocídio, apesar do consenso dos historiadores sobre o assunto e da pressão da comunidade arménia no país.

Em França, o dia 24 de Abril é a data oficial que assinala o genocídio arménio. Emmanuel Macron reunido em Paris com o embaixador da Arménia sublinhou a importância de impedir a negação deste genocídio.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Reconhecimento do genocídio arménio pelos EUA abre debate antigo na UE

Comunidade arménia nos EUA celebra declarações de Biden

Grécia mais acessível para os turistas turcos