Última hora
This content is not available in your region

Joe Biden reconhece genocídio arménio

euronews_icons_loading
Joe Biden reconhece genocídio arménio
Direitos de autor  Davit Abrahamyan/PAN Photo
Tamanho do texto Aa Aa

**Joe Biden reconheceu o genocídio arménio**, tornando-se no primeiro presidente norte-americano a fazê-lo em reconhecimento da morte de 1,5 milhões de arménios - massacrados pelo Império Otomano em 1915. A data assinala-se a 24 de Abril. Todos os anos, a Casa Branca faz uma declaração e, pela primeira vez, a palavra genocídio é mencionada, um termo que a Turquia ainda se recusa a utilizar.

Sem surpresas, a notícia fez reagir as autoridades de Ancara, com o Presidente Erdogan a denunciar a "politização" do assunto.

No Twitter, o ministro dos negócios estrangeiros do país disse que a Turquia não tinha "lições a receber de ninguém sobre a sua história". A Arménia, assinalou a data do genocídio neste sábado saudou o reconhecimento: o primeiro-ministro do país, Nikol Pachinian disse ser "uma medida muito forte em direcção à justiça e à verdade histórica".

A satisfação foi evidente nas ruas de Yerevan.

Há anos que esperamos por isto, já antes de Biden. Muitos fizeram promessas como Trump, mas acabou por fazer o mesmo que os anteriores - e nós esperámos. Acho que a Turquia vai ter medo agora, porque mais ano menos ano, quando todos os países começarem a reconhecer a situação, toda a gente vai falar do assunto.
Taline Nourian
Residente em Yerevan

Até agora, todos os presidentes dos Estados Unidos evitaram utilizar o termo genocídio, apesar do consenso dos historiadores sobre o assunto e da pressão da comunidade arménia no país.

Em França, o dia 24 de Abril é a data oficial que assinala o genocídio arménio. Emmanuel Macron reunido em Paris com o embaixador da Arménia sublinhou a importância de impedir a negação deste genocídio.