Última hora
This content is not available in your region

Supermercados italianos "enchem-se" de arte

euronews_icons_loading
Supermercados italianos "enchem-se" de arte
Direitos de autor  Luca Palamara
Tamanho do texto Aa Aa

Se os italianos não vão às galerias de arte, as galerias de arte vão ter com os italianos, ao lugar de todos os dias: o supermercado.

Em Nápoles, alguns proprietários de galerias de arte resolveram transformar vários estabelecimentos comerciais para alimentar não só o corpo, mas também a alma, em tempo de pandemia. Os compradores adoraram a surpresa.

"A obra de arte está completa quando alguém olha para ela. As pessoas que olham estão no centro de criação da obra de arte. Como os artistas não conseguiram exibir os trabalhos em museus e galerias de arte, sentimo-nos obrigados a encontrar uma solução", explicou, em entrevista à Euronews, Luigi Solito, galerista e cocriador da exposição "Add to the cart."

Aldo Carlotto, coproprietário do supermercado "Gourmeet", acrescentou: "As obras de arte que foram selecionadas integram-se perfeitamente neste contexto anómalo, que decididamente não é uma galeria de arte. Isto gerou um 'efeito wow', que surpreende as pessoas que vêm aqui todos os dias."

Luca Palamara, Euronews - Ir a um supermercado para comprar comida e estar rodeado de obras de arte não é uma experiência comum, mas pode ser, no entanto, algo para apreciar nestes tempos difíceis.

Os cinco artistas que exibem neste supermercado criaram obras interativas com a ideia de alimento como pano de fundo.

"Há uma mulher grávida. Fala sobre o significado da arte que, tanto quanto sei, é sobre alimento. Por isso a arte é como a mulher que é geradora de vida e beleza", sublinhou, em entrevista à Euronews, Christian Leperino, artista que apresenta uma criativa obra.

A também artista Francesca Matarazzo di Licosa procurou transmitir uma mensagem holística: "Através da obra tentei fazer com que as pessoas percebam que o principal alimento do ser humano é o alimento espiritual, não apenas o físico. O encerramento dos museus e galerias de arte foi prejudicial para toda a sociedade, mental e emocionalmente."

A iniciativa é a prova de que a arte pode ajudar-nos a atravessar momentos difíceis, mas não de estômago vazio.