Última hora
This content is not available in your region

BioNTech confiante na eficácia da sua vacina contra a Covid-19

euronews_icons_loading
BioNTech confiante na eficácia da sua vacina contra a Covid-19
Direitos de autor  AP / Bernd von Jutrczenka/(c) dpa-Pool
Tamanho do texto Aa Aa

O laboratório alemão BioNTech acredita que a vacina desenvolvida em conjunto com a Pfizer é eficaz contra a variante indiana da Covid-19.

De acordo com o presidente executivo da BioNTech estão, ainda, a decorrer testes, no entanto, Ugur Sahin disse estar confiante na eficácia da sua vacina, que foi testada em mais de 30 variantes obtendo sempre "uma resposta imunológica suficiente".

O empresário elogiou, ainda, o trabalho feito pelo União Europeia e mostrou-se favorável a uma flexibilização das restrições para as pessoas vacinadas.

Sahin acredita que "a Europa alcançará a imunidade de grupo em julho, o mais tardar em agosto". E há outros países que têm, ainda, muito menos vacinas. É preciso ver que há pessoas que precisam da vacina, e essa é, também, uma tarefa para a Humanidade".

Em Israel, o Ministério da Saúde iniciou um inquérito sobre uma possível ligação entre a inoculação com a vacina da BioNTech/Pfizer e alguns casos de miocardite.

O presidente executivo da BioNTech referiu que não há, até agora, "quaisquer provas destes casos de miocardite." Pelo que se tem visto, não se pode provar a relação desses casos com a vacina. Ugur Sahin sublinha, no entanto, que estão "a analisar a situação mais a fundo".

O empresário defendeu, ainda, que será necessária uma terceira dose da vacina de modo a aumentar a imunidade novamente e aproximá-la dos 100%.

Esta terceira dose deverá ser administrada entre nove a 12 meses depois da primeira inoculação.