EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

CPLP celebra Língua Portuguesa com ritmos africanos

CpLP
CpLP Direitos de autor Euronews
Direitos de autor Euronews
De  Ana Serapicos
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Músicos Paulo Flores e Manecas Costa participaram na cerimónia de celebração do Dia mundial da Língua Portuguesa, em Lisboa

PUBLICIDADE

O Dia Mundial da Língua Portuguesa foi assinalado na sede da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP) com o debate «Promoção e Difusão da Língua Portuguesa: Estratégias Globais e Políticas Nacionais». A sessão juntou vários representantes dos países que têm o português como língua oficial. 

Euronews
CPLPEuronews

Em entrevista à Euronews, o Secretário Executivo da CPLP, Embaixador Francisco Ribeiro Telles, fala de "uma data muito importante para todos os que falam português nos quatro cantos do mundo". Francisco Telles diz que a língua "está a percorrer o seu caminho" mas que "ainda falta um caminho a percorrer", admitindo a vontade da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa fazer com que o português "possa vir a ser língua oficial da Organização das Nações Unidas".

"É um caminho que temos de percorrer e que implica um esforço financeiro por parte dos países que pertencem à CPLP, mas lá chegaremos.", conta à Euronews o Secretário Executivo da CPLP. 

Euronews
Embaixador Francisco Ribeiro TellesEuronews

O representante da CPLP admitiu também que um dos fatores que contribuiu para a expansão do português nos últimos anos foram as independências africanas, as quais "assumiram o português como língua oficial, de forma a criar coesão para os seus próprios países".

A sessão solene foi aberta com a intervenção do Secretário Executivo da CPLP, Embaixador Francisco Ribeiro Telles, do Embaixador Eurico Monteiro, a representar a Presidência cabo-verdiana em exercício da CPLP, a entrega do Prémio Fernão Mendes Pinto e do Prémio da União das Cidades Capitais de Língua Portuguesa (UCCLA), seguida de um momento musical, pelo cantor angolano Paulo Flores e Manecas Costa, com ritmos africanos. 

Em entrevista à Euronews, o músico angolano Paulo flores diz que a língua portuguesa é a forma como faz o "exercício de pensamento e de liberdade", apesar de saber kimbundu, língua que a avó lhe ensinou.

A viver em Portugal há mais de 20 anos, Paulo Flores diz que sempre se inspirou nos poetas da Língua portuguesa, como Henrique Jorge Amado, Aires Almeida Santos e Vinicius de Moraes. 

Euronews
Paulo Flores - MúsicoEuronews

Paulo Flores subiu ao palco com "o irmão da vida", como chama a Manecas Costa, natural da Guiné-Bissau, também a viver em Lisboa. À Euronews, Manecas diz que tenta transmitir as tradições do país onde nasceu. "Tento à minha maneira mostrar a minha Guiné-Bissau", conta. "Tento mostrar com os acordes, com a minha alegria". O músico diz que para celebrar a língua é preciso cantá-la, fala.la e é preciso "ler os grandes livros" e tentar "divulgar ao máximo, esta língua que é tão bonita", diz Manecas Costa, com um sorriso. 

Atualmente há perto de 290 milhões de falantes da Língua portuguesa em todo o mundo. A Organização das Nações Unidas estima que em 2100 haja 500 milhões de falantes, culpa da densidade populacional que vai mais do que triplicar em países como Angola e Moçambique.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Portugal reforça ensino português no estrangeiro

Paris recebe cimeira França-África

Embaló reúne-se com Putin e apela à paz