EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

O atum-rabilho está de volta ao Mar Mediterrâneo

As populações europeias de atum-rabilho estão a crescer
As populações europeias de atum-rabilho estão a crescer Direitos de autor AP Photo/Chris Park
Direitos de autor AP Photo/Chris Park
De  Euronews
Publicado a Últimas notícias
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O atum-rabilho está de volta ao Mediterrâneo, após uma década de políticas restritivas de pesca, que ajudaram a preservar a espécie

PUBLICIDADE

Um dos peixes mais apreciados no mundo está de volta ao Mar Mediterrâneo. Graças a anos de políticas de proteção, o atum-rabilho volta a frequentar a Côte d'Azur, a Costa Azul francesa.

A espécie tinha quase desaparecido há 10 anos devido à pesca excessiva. Hoje, a pesca desportiva é permitida, desde que o peixe seja atirado de volta à água.

David Gamba, presidente da Federação Monegasca de Pesca Desportiva manifesta o seu entusiasmo: "Temos populações de atum aqui durante todo o ano, com exemplares que medem 1,50m, 1,60m, 2m, 2,20m, animais maiores que os humanos. É uma espécie de monstro marinho fascinante. Fascina a imaginação. Cada vez que o vemos sair como um torpedo, dizemos: Uhau! É incrível".

Com o aumento das quotas de pesca dos últimos anos, a comunidade científica volta a manifestar receios sobre o declínio da espécie.

Philippe Mondielli, o Diretor Científico da Fundação Príncipe Alberto II, pede atenção: "É preciso ter atenção, já cometemos erros no passado. Dizemos a nós próprios que há mais atum, mas atenção! De momento ainda há muitos atuns pequenos, temos de esperar até que a população esteja realmente consolidada".

Estima-se que a captura global de atum possa atingir quase 8 milhões de toneladas em 2025 no mundo.

O atum-rabilho é a espécie mais apreciada para o sushi.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

UE aprova plano de contigência para pescar em águas britânicas

Pescadores queixam-se de competição com turbinas no mar

Berlusconi e a Europa: um ano após o desaparecimento de um líder que mudou a UE