Última hora
This content is not available in your region

Restauração de Londres com falta de pessoal

euronews_icons_loading
Restauração de Londres com falta de pessoal
Direitos de autor  Alberto Pezzali/Copyright 2021 The Associated Press. All rights reserved
Tamanho do texto Aa Aa

Com o fim de grande parte das restrições, Londres quer voltar a ser uma capital do turismo. Mas nestas primeiras semanas de desconfinamento há um tema que domina o setor: milhares de europeus que trabalhavam nos cafés e restaurantes saíram da cidade.

Asma Kan não consegue encontrar colaboradores. É dona do restaurante indiano Darjeeling Express e está com muitas dificuldades para preencher as vagas. Diz que de certa forma, o setor merece esta situação porque “quando as coisas estavam a correr bem não cuidaram do pessoal". Para Asma, o Reino Unido precisa de melhorar as condições de trabalho para atrair trabalhadores e deixar de “fingir que estas pessoas não existem e que não são o núcleo da hospitalidade”. Defende mais discussão sobre os direitos dos trabalhadores a criação de um sindicato.

Menos postos de trabalho e menos trabalhadores

Apesar da diminuição de postos de trabalho e de menos 355 mil empregados em todo o setor da hotelaria do Reino Unido, os restaurantes e cafés não conseguem encontrar pessoal. Mas há exceções. Ao contrário do que acontece na maioria do país e em Londres, algumas regiões conseguiram manter o pessoal e a grande maioria são europeus.

Richard Gladwin proprietário do The Sussex Bar and Restaurant, conta que o segredo é tratar o pessoal de forma justa e garantir empregos. “Decidi ter gerentes, e deixamos de falar de um trabalho casual para falar de uma carreira", explica.

Segundo as últimas estatísticas, no final de 2020 o Reino Unido tinha quase um milhão a menos de residentes não nascidos no país, em comparação com 2019. Para o setor da hospitalidade e lazer, os tempos pós-Brexit e pós-covid começam com incerteza.