EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

O caminho de Gaza até à NASA

O caminho de Gaza até à NASA
Direitos de autor Cleared
Direitos de autor Cleared
De  Bruno SousaMariam Chehab
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Loay Elbasyouni deixou o martirizado território para trás em busca do sonho americano há mais de 20 anos e agora colocou um helicóptero a voar em Marte

PUBLICIDADE

A missão a Marte representou uma proeza assinalável em termos de engenharia e um dos pontos altos foi o voo de um helicóptero no planeta vermelho.

Um dos rostos por trás do projeto é o do palestiniano Loay Elbasyouni, que deixou o martirizado território onde nasceu com o sonho de mudar o mundo e agora partilhou pela Euronews a história que o levou de Gaza à NASA.

"A maior felicidade foi quando realizámos o primeiro voo. Fiquei feliz e orgulhoso por pertencer a esta equipa. O meu sonho, desde que deixei Gaza em criança, sempre foi começar uma empresa capaz de mudar o mundo. Essa missão está em curso, por isso não vejo este ponto como o momento em que alcancei os meus objetivos. É apenas mais um passo na minha carreira", afirmou Loay Elbasyouni.

O passo que o fez sair de casa para não mais voltar aconteceu em 1998. Agora faz parte de um dos projetos mais importantes para a Humanidade mas nem tudo foram rosas até chegar aqui.

"Na minha chegada aos EUA passei muitas dificuldades. A situação em Gaza estava cada vez pior e tinha de trabalhar bastante, 90 a 100 horas por semana a entregar pizzas ou a trabalhar em restaurantes, para poder pagar as propinas e todas as despesas de educação, do mestrado em engenharia elétrica. A partir daí, construí a minha carreira em torno dos veículos elétricos, depois dos aviões elétricos e foi isso que me trouxe ao projeto do helicóptero de Marte", contou o engenheiro palestiniano.

Apesar da vontade de regressar a casa e visitar a família, Loay Elbasyouni não acredita que isso aconteça nos próximos tempos.

O engenheiro palestiniano argumenta que, como nunca se sabe quando as fronteiras vão estar abertas, tem medo de ficar retido no território, sem possibilidade de voltar aos Estados Unidos.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Ingenuity faz história ao realizar o primeiro voo em Marte

NASA prepara voo de helicóptero em Marte

Perseverance à descoberta de Marte