EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Lukashenko e Putin reúnem-se pela segunda vez em dois dias

Presidente bielorrusso, Alexander Lukashenko, e o Presidente russo, Vladimir Putin, ao largo de Sóchi, cidade balnear russa do mar negro
Presidente bielorrusso, Alexander Lukashenko, e o Presidente russo, Vladimir Putin, ao largo de Sóchi, cidade balnear russa do mar negro Direitos de autor Sergei Ilyin/Sputnik
Direitos de autor Sergei Ilyin/Sputnik
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Os presidentes da Bielorrússia e da Rússia reuniram-se pelo segundo dia consecutivo depois da crise diplomática com a União Europeia, originada pelo desvio de um avião da Ryanair e detenção de um jornalista, crítico de Minsk.

PUBLICIDADE

Varsóvia, capital da Polónia, foi palco de um protesto popular contra o regime da Bielorrússia e pela libertação do jornalista Raman Pratasevich, detido após o desvio de um avião da Ryanair.

Entre bielorrussos e figuras políticas polacas, esteve a mãe do jornalista. "Pela liberdade de expressão do meu filho e da Sofia, e outros estão na prisão. "Quero que Lukashenko pense bem. Peço aos repressores que pensem bem se ainda tiverem alguma humanidade em vocês. Não tenho vergonha de pedir a todos os países da União Europeia, pedir a América para nos ajudar", declarou Natalia Pratasevich.

Kiev, na Ucrânia, foi também palco de um protesto pelos mesmos motivos, um dia em que se assinala o aniversário da detenção do marido da líder da oposição bielorrussa, Svetlana Tskikhanouskaya.

Os bielorrussos a viver fora do seu país, explicam porque participam na manifestação. "Não temos oportunidade para protestar na nossa terra natal. Por isso, muitas pessoas decidiram chamar a atenção de outros países, para dizer que estamos todos a viver no mesmo mundo, na mesma Europa.

A Rússia está do lado da Bielorrússia, no caso do desvio do avião da Ryanair. A posição russa nas Nações Unidas demonstra isso. “Dizer que foi uma aterragem forçada, condená-la e introduzir sanções sem qualquer investigação, esse tipo de comportamento é absolutamente irresponsável", explicou.

Alexander Lukashenko e Vladimir Putin retomaram as conversações ao largo da cidade balnear russa de Sochi, no mar Negro, conversações que tiveram início na sexta-feira e prolongaram-se por mais de 5 horas, de acordo com fontes oficiais.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Repórteres Sem Fronteiras protesta na fronteira com a Bielorrússia

"Estado da União": Bielorrússia e Suíça em destaque

A China e a Polónia lançam a primeira ligação ferroviária regular, relançando a rota comercial da Rota da Seda