Última hora
This content is not available in your region

Liberdade para dançar em Lyon com o regresso da Bienal da Dança

euronews_icons_loading
Liberdade para dançar em Lyon com o regresso da Bienal da Dança
Direitos de autor  euronews
Tamanho do texto Aa Aa

Liberdade para dançar em Lyon. Depois de um ano de pausa a dança agora é outra. A Bienal da Dança está de volta, com mais de 40 companhias de dança de todo o mundo. A cidade francesa pode celebrar o levantamento das restrições com música e movimento.

África está no centro da Bienal deste ano, com artistas de 16 países africanos, incluindo o coreógrafo nigeriano Qudus Onikeku e os seus bailarinos. Este ano, o tradicional inclui 16 jovens bailarinos amadores dos arredores de Lyon.

Também estava interessado na forma como os bailarinos da geração mais jovem reintegram o conhecimento e a investigação do passado de uma forma mais contemporânea, mesmo que não tenham uma educação ou a transmissão directa disso, mas há uma forma do corpo se regenerar e se lembrar.
QUDUS ONIKEKU
Bailarino e coreógrafo

Um dos espetáculos de abertura chama-se "Urgence". Um estado de emergência apresentado por cinco jovens que descobriram a dança num centro social. Este ano, marionetas gigantes, com quase 4 metros de altura, também entram na dança.