Última hora
This content is not available in your region

A vida nas "ecoaldeias" da Sérvia

De  Helen Elfer
A vida nas "ecoaldeias" da Sérvia
Direitos de autor  Property of Walking by the Earth
Tamanho do texto Aa Aa

Como a maior parte do mundo, a Sérvia está a emergir de um ano extremamente tumultuoso em que a Covid, as alterações climáticas e uma economia desafiadora forçaram as pessoas a reavaliar completamente os seus estilos de vida.

Para muitos, isto provocou um forte desejo de se reconectarem com a natureza e o património rural da Sérvia. Após anos de despovoamento rural, a vida nas aldeias como uma escolha sustentável e amiga do ambiente tornou-se mais atraente.

Marija Babić quis, durante anos, viver perto da natureza. Agora, com o seu companheiro, três filhos e um cão - uma família que decidiu adotar o nome “Walking By the Earth” (passeando pela terra), está no processo de mudança de Belgrado para uma comunidade nas encostas de Stara Planina.

Marija é clara sobre o que um estilo de vida ecológico significa para ela: "Somos uma família de baixo desperdício, praticamos a compostagem de resíduos orgânicos, o cultivo da nossa própria comida e a manutenção do ambiente limpo". Somos ativistas, não apoiamos o greenwashing, não compramos roupa nova - usamos roupa em segunda mão ou compramo-la à família e amigos - somos loucos pelo ar livre", conta.

Milan Mitrovic /
A família "Walking by the Earth"Milan Mitrovic /

Embora o estilo de vida da "ecoaldeia'' ainda não esteja generalizado na Sérvia, Marija espera que em breve haja mais pessoas a seguir os seus passos: "Nos próximos anos teremos muito mais pessoas que gostariam de viver em zonas rurais e talvez se venham a juntar às comunidades existentes. Está a acontecer uma revolução ecológica, as pessoas começaram a acordar, a estar conscientes e a lutar pela saúde e pelo ambiente. Até agora temos as aldeias de Vrmdza, Fruška Gora e Stara Planina. A Sérvia oriental e ocidental está em fase de despertar".

A aldeia de Vrmdza que Marija menciona é frequentemente considerada como uma inspiração para o desenvolvimento rural. Há uma década, tinha uma população em declínio e era um exemplo típico de uma aldeia sérvia em declínio. Mas a sorte estava prestes a mudar.

Property of Walking by the Earth
A família "Walking by the Earth"Property of Walking by the Earth

Dragana Tomić Pilipović, uma mulher com uma carreira empresarial exigente em Belgrado, mudou-se para lá, trazendo família, amigos e uma visão para uma nova abordagem à vida da aldeia.

A sua paixão é "utilizar as competências urbanas para encontrar uma solução sustentável para viver nas zonas rurais e estar mais ligada à natureza, desenvolvendo uma boa economia, empresas socialmente conscientes e comunidades fortes", diz, acrescentando: "Nem todos temos de ser agricultores!"

Fundou o Centro para o Empreendedorismo Socialmente Responsável e o Pólo Rural, um espaço de trabalho conjunto onde os aldeões se podem ligar, suscitar ideias e desenvolver valiosas competências empresariais.

Hoje em dia, a comunidade está a prosperar. As propriedades das aldeias foram recuperadas e desenvolvidas. Há um fluxo constante de pessoas das cidades atraídas pelas espectaculares vias de escalada e trilhos para caminhadas (o Monte Rtanj fica nas proximidades), alimentos orgânicos caseiros, belos arredores e oportunidades de trabalho remoto.

O sucesso de Vrmdza deve-se em parte ao intercâmbio aberto de competências e conhecimentos entre os habitantes locais e os recém-chegados.

Dragana pinta um quadro de uma comunidade no sentido mais verdadeiro da palavra, onde as competências de cada pessoa são utilizadas e respeitadas: "Em Vrmdza, se alguém quiser comprar flores vai a Miladinka, se alguém quiser comprar lembranças vai a Saska, para queijo, Snezana. Cada pessoa na aldeia tem os seus próprios conhecimentos, capacidade e recursos para oferecer um serviço, e quando os visitantes vêm à aldeia, conhecem a história de cada pessoa e que cada cêntimo que gastam vai diretamente para apoiar aquela família", diz.

"O que acontece quando se chega a uma aldeia é que se começa a reconhecer o quanto não se estava a ligar à natureza de uma cidade. É doloroso", continua Dragana.

Mas agora, diz ela, é possível ter o melhor dos dois mundos. "As pessoas podem comparar os benefícios de viver numa cidade ou aldeia, e dizer: 'Vou escolher um pouco desta vida e um pouco desta vida e vou fazer eu mesma a mistura perfeita'".

DjordjeMarkovic via Wikimedia Commons
A aldeia de VrmdzaDjordjeMarkovic via Wikimedia Commons

Nevena Savić, da ONG ecológica Zeleno Doba, concorda que a mudança está em curso na Sérvia. "Há, sem dúvida, um aumento de recém-chegados no campo e mais interesse de pessoas de todas as idades pela sustentabilidade", diz. "Notámos uma grande necessidade nas pessoas pelo seu pedaço de terra e parte do céu durante o encerramento".

A organização apoia as pessoas que querem viver de forma mais sustentável ou que estão em vias de regressar ao campo.

Nevena explica: "Há apenas uma ou duas gerações, as pessoas sabiam como reconhecer as plantas, trabalhar na horta e produzir alimentos durante um ano, pelo que há uma grande necessidade de reaprender velhos conhecimentos. Há muitas iniciativas de sucesso que promovem o desperdício zero, a jardinagem urbana e o empreendedorismo no campo. Todas elas têm diferentes histórias e diferentes estilos de vida. Pensamos que isso é espantoso - todos fazem o seu melhor para obter resultados sustentáveis espetaculares".

"Através das nossas atividades, esperamos trazer mais consciência sobre sustentabilidade, mais compreensão e compaixão, mais atitudes e risos positivos, mais saúde e alegria e mais bem neste mundo", diz ela.