Última hora
This content is not available in your region

Protesto pelos direitos humanos dos migrantes bloqueados

De  Francisco Marques com AP
euronews_icons_loading
Protesto pelos direitos humanos dos migrantes bloqueados
Direitos de autor  Edo Zulic/Copyright 2021 The Associated Press. All rights reserved.
Tamanho do texto Aa Aa

Cerca de uma centena de ativistas de vários países europeus bloquearam durante horas um posto fronteiriço entre a Bósnia-Herzegovina e a Croácia, na defesa dos direitos humanos dos migrantes que pretendem entrar na União Europeia e continuam à espera.

Na véspera do Dia Mundial dos Refugiados, que se assinala este domingo, os ativistas estacionaram viaturas na estrada da fronteira que liga o noroeste da Bósnia-Herzegovina a Maljevac, no centro da Croácia, uma das rotas utilizadas pelos migrantes oriundos do norte de África e do Médio Oriente para rumarem ao centro da União Europeia via Turquia.

Há pessoas a apoiar-nos de Espanha, da Alemanha, de França e da Áustria. Há quem tenha vindo da Eslovénia.

Todas estas organizações, compostas por cidadãos europeus, estão fartas das políticas europeias para a migração.

Estamos aqui para protestar contra essas políticas, para acabar com a Frontex e para começarmos a garantir os direitos básicos para todos os seres humanos.
Francesco Cibati
Presidente da ONG italiana "Linea d'Ombra"

O protesto acontece numa altura em que milhares de migrantes que têm percorrido a chamada rota dos Balcãs, passando pela Grécia ou pela Bulgária após deixarem a Turquia, estão bloqueados na fronteira entre a Bósnia e Herzegovina e a Croácia.

Os ativistas acusam a União Europeia de estar a rejeitar violentamente, através da polícia croata, a entrada de migrantes no espaço europeu e exigem a abertura das fronteiras para as pessoas que estão a fugir de guerras e perseguições políticas ou étnicas nos países de origem, o que lhes garante estatuto de refugiados.