This content is not available in your region

Ataque à faca: "Ato espontâneo de pessoa com distúrbios"

Access to the comments Comentários
De  Francisco Marques
euronews_icons_loading
Memorial pelas vítimas de Vurzburgo no local dos ataque de sextga-feira
Memorial pelas vítimas de Vurzburgo no local dos ataque de sextga-feira   -   Direitos de autor  AP Photo/Michael Probst

As autoridades da Alemanha ainda não encontraram motivo para o ataque à faca ocorrido sexta-feira à tarde em Vurzburgo, no norte da Baviera, mas o advogado de defesa do atacante, com quem já falou, admite ter sido apenas "um ato espontâneo de uma pessoa com distúrbios mentais".

Um cidadão da Somália, de 24 anos, já conhecido das autoridades e com alegados problemas psiquiátricos, matou três mulheres e feriu pelo menos outras cinco pessoas. O atacante acabou baleado numa perna pela polícia e detido.

As autoridades revelaram já este sábado que os cinco feridos continuam a receber assistência hospitalar, pelo menos dois estavam em estado considerado grave, mas um melhorou consideravelmente.

A polícia apelava ainda para não se difundirem alegações falsas acerca das motivações do ataque, que ainda não terão sido apuradas.

O advogado do suspeito não coloca de parte haver razões religiosas, mas diz ser preciso, primeiro, clarificar o que se passou.

"Neste momento, admito ter-se tratado de um ato espontâneo de uma pessoa com distúrbios mentais. Especular acerca de um historial islâmico é prematuro", argumentou Hans-Jochen Schrepfer, menos de 24 horas após o ataque e já depois de ter falado com o cliente recorrendo a um tradutor.

O advogado disse ainda que o cliente está detido sob acusação de três homicídios e seis tentativas de homicídio.

Governantes ao lado das vítimas

O ataque aconteceu pela tarde e vários civis tentaram neutralizar o atacante que empunhava uma faca. Alguns ficaram feridos.

Para o primeiro-ministro da Baviera, "o incidente ocorrido em Vurzburgo é inconcebível e chocante".

Markus Söder diz estar "ao lado da vítimas e a temer pelo feridos, rezando com esperança pela sua recuperação com as respetivas famílias", garantindo que "todos os bávaros estão solidários e de luto pelo sucedido".

O porta-voz do Governo alemão salientou ser a investigação a ditar as motivações deste ataque, que diz ter sido "contra toda a Humanidade e todas as religiões".

Steffen Seibert manifestou ainda a total solidariedade do Governo com os feridos e as famílias das vítimas mortais.

O atacante habitava em Vurzburgo desde 2015 e não tinha qualquer ligação às vítimas desta sexta-feira.

A polícia revelou entretanto que o homem já tinha estado envolvido num outro ataque à faca em janeiro, no abrigo onde residia, sem haver registo de vítimas, mas que o levou a ser entregue aos serviços psiquiátricos da cidade.

Já este mês, o atacante desta sexta-feira terá assediado uma outra pessoa na cidade, tendo sido, por isso, de novo enviado para os serviços de psiquiatria.

A investigação para perceber os motivos do ataque desta sexta-feira continua.