Última hora
This content is not available in your region

"Redoma de calor" nos Estados Unidos e Canadá

De  Teresa Bizarro com AP
euronews_icons_loading
Em Seattle, as autoridades abriram à população edifícios públicos com ar condicionado. Na rua foram montadas estações de distribuição de água
Em Seattle, as autoridades abriram à população edifícios públicos com ar condicionado. Na rua foram montadas estações de distribuição de água   -   Direitos de autor  Ted S. Warren/AP
Tamanho do texto Aa Aa

Está para ficar, pelo menos até ao final da semana, a onda de calor que atravessa o lado ocidental do Canadá e o noroeste dos Estados Unidos. Desde domingo, foram batidos mais de 60 recordes de temperaturas máximas em várias cidades.Os especialistas classificam este fenómeno como uma "redoma de calor" e dizem que as condições de humidade podem fazer os termómetros chegar aos 50 graus centígrados.

Sarah Henderson, do centro de controlo de doenças da British Columbia, justifica o estado de alerta na província e no país com temperaturas "loucas" e uma situação "sem precedentes".

A vaga de calor não conhece fronteiras e afeta também os Estados Unidos. Cidades como Seattle e Portland, mais conhecidas pela chuva quase permanente, estão sob uma massa de ar quente e temperaturas inéditas desde que há registos. Sobretudo para o mês de Junho. "Normalmente temos provavelmente 15 ou 20 graus e isso é um grande dia e toda a gente vai para a rua de calções e t-shirts. Mas isto é ridículo. Sinto como se estivesse no deserto," diz um residente em Seattle.

Nos Estados Unidos e no Canadá, nestas regiões pouco habituadas e pouco preparadas para o calor, as autoridades encerraram escolas, empresas e até alguns centros de vacinação contra a Covid-19.