EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Agricultura subaquática pode ser alternativa aos métodos tradicionais

Agricultura subaquática pode ser alternativa aos métodos tradicionais
Direitos de autor Ocean Reef Group 2021
Direitos de autor Ocean Reef Group 2021
De  euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Ao largo da costa italiana seis mini-estufas subaquáticas abrigam ervas aromáticas e outras plantas numa tentativa de encontrar formas sustentáveis de produzir alimentos debaixo de água

PUBLICIDADE

Após um ano de interrupção devido à emergência Covid, a primeira estufa subaquática para plantas terrestres está de novo operacional.

Foi em 2012 que Sergio Gamberini teve a ideia de cultivar manjericão a oito metros de profundidade ao largo da Ligúria na costa italiana.

No início muitos não acreditaram neste conceito que entretanto ganhou notoriedade a nível mundial.

A luta contra as alterações climáticas potenciou a procura de formas alternativas e sustentáveis de cultivo de alimentos.

"Se continuamos a explorar e reduzir a área florestal e os pulmões do planeta, o aquecimento global vai acelerar o que levará ao aumento do nível das águas do mar. Agora podemos olhar para os oceanos como recursos a preservar de forma sustentável e ao mesmo tempo podemos explorar enquanto alternativa aos métodos de cultivo tradicionais", adianta Luca Gamberini, diretor de marketing do Ocean Reef Group.

Seis mini-estufas, designadas de biosferas, contêm plantas como alfaces e morangos, para além do manjericão. 

Outras ervas aromáticas como orégãos e mesmo sementes de tabaco fazem igualmente parte das novas espécies cultivadas.

O mar proporciona temperaturas ideais para o cultivo de alimentos. 

Mas qual é o efeito da água sobre as plantas?

"A vantagem é não apenas obter uma planta melhorada mas com um sabor mais intenso... e é possível fazê-lo num ambiente totalmente protegido. Trata-se de um laboratório e nada pode afetar a planta a não ser que seja proveniente do exterior", explica Luca Gamberini.

A repórter da euronews Giorgia Orlandi acrescenta:

"Por enquanto, este jardim subaquático é acima de tudo um laboratório mas todos os anos são realizadas descobertas que podem um dia vir a permitir cultivar plantas em larga escala.

Este projeto ajudou também a consolidar a ideia de que a agricultura subaquática pode ser viável.

 Uma ideia que pode ser reproduzida e aplicada em muitos países por todo o mundo".

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Nepal assinala época de cultivo do arroz

Pandemia dá impulso inesperado à agricultura biológica em Espanha

Cidades italianas de Pozzuoli e Procida declaram guerra ao esferovite