Última hora
This content is not available in your region

Varsóvia resiste no braço de ferro com a União Europeia

De  Francisco Marques
euronews_icons_loading
Varsóvia resiste no braço de ferro com a União Europeia
Direitos de autor  AP Photo
Tamanho do texto Aa Aa

A Polónia resiste à pressão da União Europeia (UE) devido às reformas judiciais em curso no país e que Bruxelas entende estar contra as regras de um Estado de Direito.

Perante a solicitação de um parecer do primeiro-ministro Mateusz Morawiecki, o Tribunal Constitucional polaco declarou que a legislação da Polónia se sobrepõe à da UE quando há conflito entre ambas.

Em causa está uma decisão do Tribunal de Justiça da UE que deu à razão à Comissão Europeia para exigir ao governo polaco a suspensão das disposições que condicionam a ação dos juízes e que os impedem por exemplo de recorrer ao Tribunal Europeu.

Bruxelas pediu também a suspensão do órgão entretanto criado pelo governo conservador, Câmara Extraordinária de Controlo e Assuntos Públicos, que tem por objetivo regulamentar a independência dos magistrados.

O acórdão do Tribunal da União Europeia foi conhecido esta quarta-feira e a Polónia tem agora um mês para comunicar a adoção das medidas exigidas.

A posição do Tribunal Constitucional polaco deixa, no entanto, antever o extremar do braço de ferro entre Varsóvia e Bruxelas devido às reformas promovidas pelo governo de Mateusz Morawiecki, que têm dividido os polacos e revoltado sobretudo o setor judicial deste Estado-membro de leste.