Última hora
This content is not available in your region

Vacina é passaporte para a "normalidade"

Access to the comments Comentários
De  euronews com lusa
euronews_icons_loading
Vacina é passaporte para a "normalidade"
Direitos de autor  Denise Cathey/Copyright 2021
Tamanho do texto Aa Aa

A vacinação contra a covid-19 está a aliviar medidas restritivas em alguns países europeus, como é o caso de Itália.

A partir de 6 de agosto, apenas pessoas vacinadas contra a covid-19 vão poder entrar em restaurantes, museus, teatros ou ginásios. A livre circulação em determinados sítios públicos aplica-se a quem tenha pelo menos uma dose da vacina. O objetivo é aumentar as taxas de vacinação em todo o país.

Medida para evitar infeções

A Itália contabilizou 5.057 novos casos de covid-19 e 15 mortes nas últimas 24 horas, de acordo com as autoridades sanitárias italianas. Uma tendência de crescimento que continua alta.

O governo italiano já administrou mais de 63 milhões de doses de vacinas autorizadas na União Europeia. Atualmente, apenas existe a obrigação do uso de máscaras em espaços fechados, mas o governo não exclui um aumento das restrições se a situação continuar a piorar, tal como tem acontecido nas últimas semanas.

O Primeiro-ministro italiano acredita que as medidas para restringir entradas a quem tenha uma dose de vacina serve para evitar aumento de infeções. "Se não reagirmos agora, o aumento das infecções chegará. Se não tomarmos medidas, o que acontece na França, Inglaterra, Espanha também chegará à Itália.", admitiu Mario Draghi numa conferência de imprensa.

Máscara "vai caindo" na Áustria

Também na Áustria, as novas regras trazem mais normalidade. Já não é obrigatório usar máscara, por exemplo, dentro de lojas, com exceção para supermercados e farmácias, onde o uso de máscara continua a ser obrigatório. Esta medida de desconfinamento aplica-se em todo o país com exceção de Viena, a capital, onde a variante Delta é responsável por um grande número de infeções.