Líderes do G7 reúnem-se online para falarem da crise no Afeganistão

Líderes do G7 reúnem-se online para falarem da crise no Afeganistão
Direitos de autor Phil Noble/Copyright 2021 The Associated Press. All rights reserved
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Os líderes das nações do G7 reúnem-se esta terça-feira para abordarem a crise no Afeganistão e o programa coordenado de reinstalação dos refugiados

PUBLICIDADE

A janela de oportunidade para retirar do Afeganistão os cidadãos estrangeiros e afegãos aliados em risco está a ficar cada vez mais estreita.

A crise será esta terça-feira o tema central da reunião de emergência das nações do G7, convocada pelo primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, e que decorre online.

O principal objetivo é persuadir o presidente norte-americano a prorrogar o prazo de 31 de Agosto para a retirada das suas tropas.

Joe Biden não excluiu essa possibilidade, mas ela parece agora cada vez menos provável

"Como o presidente já disse antes, acreditamos que temos tempo até ao dia 31 para retirar qualquer americano que queira sair", referiu Jake Sullivan, o conselheiro para a segurança nacional.

A verdade é que os talibãs deixaram muito claro que não aceitarão a extensão do prazo para a retirada das forças estrangeiras: "Se estenderam o prazo, isso significa que estão a estender a ocupação. Embora não haja necessidade disso, penso que vamos minar a relação, criar desconfiança entre nós. Se tiverem a intenção de continuar a ocupação, então isso provocará uma reação", afirmou Suhail Shaheen, porta-voz dos talibãs.

Para além de discutirem a forma de retirar o maior número possível de afegãos de Cabul, os sete - Estados Unidos, Reino Unido, França, Alemanha, Itália, Canadá e Japão - vão falar de um programa coordenado de reinstalação destes refugiados e de estratégias para encorajar os talibãs a formarem um governo inclusivo no Afeganistão.

O Reino Unido pretende ainda que sejam aprovadas novas sanções contra os talibãs.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Contagem decrescente em Cabul por entre risco acrescido de mais ataques

Testemunho em primeira mão de um refugiado

Começaram os funerais das vítimas do sismo no Afeganistão