EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Papa Francisco em Budapeste

Francisco celebra missa na Praça dos Heróis
Francisco celebra missa na Praça dos Heróis Direitos de autor euronews
Direitos de autor euronews
De  euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Sumo Pontífice reune-se com primeiro-ministro húngaro, Viktor Orbán. Em Budapeste Francisco adverte para surtos de ódio e antissemitismo.

PUBLICIDADE

O Papa Francisco deslocou-se este domingo a Budapeste, na Hungria, para o encerramento do 52° Congresso Eucarístico Internacional, onde advertiu para os surtos de ódio e antissemitismo que estão a surgir um pouco por todo o mundo.

Esta é a primeira viagem do Sumo Pontífice desde que foi operado ao cólon, em julho.

Nesta visita relâmpago à Hungria, de apenas sete horas, o líder da Igreja Católica reuniu-se com o presidente do país, Janos Ader, e o primeiro-ministro, Viktor Orbán, durante mais de 40 minutos à porta fechada.

De acordo com um comunicado do Vaticano, durante a conversa abordou-se "o papel da Igreja no país, o compromisso de salvaguardar o ambiente e a defesa e a promoção da família."

Recebido por milhares de cristãos, nas ruas de Budapeste, Francisco celebrou a missa de Encerramento do Congresso Eucarístico Internacional, na Praça dos Heróis.

O Papa apelou aos cristãos, judeus e pessoas de outros credos para que se comprometam a promover uma maior fraternidade "para que as explosões de ódio que destruiriam essa fraternidade nunca prevaleçam".

Durante o Angelus, Francisco exortou os fiéis a manterem "firmes as raízes, mas sem entrincheiramentos", desejando que sejam "alicerçados e abertos, enraizados e respeitadores".

Depois de Budapeste, Francisco partiu para a Eslováquia, onde ficará três dias em visita de Estado.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Opositor de Orbán mobiliza milhares em manifestação anti-governo

Húngaros céticos e divididos quanto ao potencial de mudança das eleições europeias

Orbán na abertura da campanha para as europeias do Fidesz: "O que Bruxelas está a fazer é brincar com o fogo"